“A Revolução Russa noventa anos depois”

texto sobre a Revolução Russa, que completa hoje 94 anos. para ler na íntegra, clique aqui:

Os apoios exaltados e os ataques furiosos que a experiência soviética suscitou contribuíram para mascarar sua verdadeira realidade. O fracasso desse processo é rico em lições sobre os sistemas, suas transformações, seu envelhecimento e suas crises
por Moshe Lewin

A Revolução de Outubro de 19171 marcou a história do século XX. Suscitou inúmeras polêmicas, apoios exaltados e ataques furiosos, otimismos  simplistas e condenações sumárias. A perpetuação dessas representações contribuiu para mascarar, no espírito de muitos, a realidade. De fato, em 1917, o que predominava era o tumulto em todas as instituições (Estado, exército, polícia, partidos, imprensa, meios econômicos) e um caos que pesaria profundamente na escolha dos bolcheviques.

As crises e as fases de decomposição são parte integrante do curso da história. Em geral, assinalam o fim de uma era, o fim de um sistema. Em alguns casos, se determinadas forças (interiores ou exteriores) existem, abre-se uma nova página, às vezes chamada “revolução”. Inúmeros autores falam da revolução “realizada” pelos bolcheviques, donde se subentende que estes seriam os “culpados” por ela.

Tal leitura dos eventos é simplesmente lamentável. Traduz uma total ignorância do que se passou em setembro e outubro de 1917, quando nada mais funcionava na Rússia, a paralisia do poder era total e o país inteiro caminhava rumo aos levantes camponeses em grande escala, à guerra civil e ao caos generalizado. A revolução não foi senão uma resposta a esse caos crescente e à perspectiva do desaparecimento puro e simples da Rússia como Estado nacional.

Em poucas palavras, não foi a revolução que desencadeou a crise: uma crise muito profunda é que foi resolvida pela revolução conduzida pelos bolcheviques, depois que outras forças, que tentaram desesperadamente conduzir a situação, não fizeram senão aprofundá-la. Contrariamente a certas idéias preconcebidas, nesse momento, o regime político oficial, simbolizado pelo Governo Provisório instaurado após a queda do czarismo em fevereiro de 1917, não passava de um cenário — nele nada acontecia. Estava exaurido, acabado. Não existia mais poder de Estado, apenas um semblante.
(…) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: