Mudança de traçado na Ferrovia da Integração pode acabar com a economia de Itajaí

da assessoria do vereador Thiago Morastoni (PT): 

Thiago Morastoni fará parte do Grupo de Trabalho que irá batalhar pela manutenção do município na rota da ferrovia

O setor portuário é considerado o coração econômico de Itajaí. O município tem hoje o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) de Santa Catarina, segundo dados do IBGE, mas toda essa pujança está ameaçada com a possibilidade de tirarem a cidade da rota da Ferrovia da Integração, também conhecida como Ferrovia do Frango. O vereador Thiago Morastoni (PT) alerta que o fato traria enormes prejuízos aos cofres do município e às empresas que aqui estão instaladas, podendo acarretar em demissões em massa.

O parlamentar participou de uma reunião na sede da Associação Empresarial de Itajaí (ACII), na noite de segunda-feira (18), e fará parte de um grupo de trabalho que irá acompanhar as negociações e discussões quanto a definição do traçado da Ferrovia da Integração, cuja rota original vai de Chapecó a Itajaí, mas pode ter seu destino final alterado para São Francisco do Sul. Até o mês de agosto, o governo federal abrirá licitação para a construção das ferrovias, e precisará se chegar a um consenso quanto ao traçado da Ferrovia do Frango.

“A reunião marcou o início de um grande movimento que precisa ser feito em prol de Itajaí. Autoridades políticas, empresários, associações, enfim, a sociedade em geral precisa lutar para mantermos o traçado original da Ferrovia da Integração, entre Chapecó e Itajaí”, destaca o vereador, que foi convidado pela presidente da ACII, Maria Izabel Pinheiro Sandri, e a diretora executiva Olga Zanella para fazer parte do grupo de trabalho.

Thiago Morastoni lembra que o Porto de Itajaí tem suas exportações predominantemente na área de cargas frigorificadas e que a mudança da rota da ferrovia traria prejuízos incalculáveis para toda a região. “As autoridades não podem virar as costas para a segunda economia de Santa Catarina, que é Itajaí. Temos o porto como referência e perder essas exportações acarretaria no fechamento de empresas e em demissões em massa. Temos todos que nos mobilizar”, convoca o parlamentar.

O grupo de trabalho deverá se reunir com o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo. A EPL tem por finalidade estruturar e qualificar, por meio de estudos e pesquisas, o processo de planejamento integrado de logística no país, interligando rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias.

Nova reunião sobre a tarifa do lixo

Aconteceu na manhã desta terça-feira (19) a segunda reunião da comissão formada para elaborar um critério mais justo para a aplicação dos valores da tarifa de lixo em Itajaí. O encontro foi novamente na Prefeitura Municipal e definiu a formação de uma subcomissão para analisar o contrato da Engepasa Ambiental com o município, a planilha de custos do serviço e os aditivos previstos no documento.

O grupo, composto pelo vereador Thiago Morastoni e outros seis integrantes, terá até o dia 4 de março – data da próxima reunião – para avaliar a situação e repassar o diagnóstico aos demais integrantes da comissão, composta por representantes do Ministério Público, OAB, Prefeitura, Câmara de Vereadores, ACII, CDL, Intersindical, Observatório Social e entidades ligadas aos trabalhadores e moradores.

“Precisamos analisar a planilha com os valores do serviço para saber onde podem ser diminuídos custos, para que a população só pague o que realmente for justo. Esta análise foi uma orientação do promotor Fernando Comin, da 13ª Promotoria de Defesa do Consumidor e Cidadania, e acredito que depois deste trabalho poderá se chegar à melhor forma de cobrança”, explica Morastoni.

Anúncios

2 Respostas to “Mudança de traçado na Ferrovia da Integração pode acabar com a economia de Itajaí”

  1. Leandro Hahn Says:

    Ferrovias de carga trazem um grande impacto urbanístico para a cidade, seria interessante discutir as formas de amenizar este impacto na mobilidade urbana e outras interferências. A vantagem econômica não pode se sobrepor a qualidade de vida, devemos buscar o equilíbrio.

  2. Edson Says:

    A perda dessa ferrovia aqui no Vale do Itajaí, seria mais devastador para a região, do que o fechamento da nossa ferrovia em 1971.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: