A solução para os problemas de Segurança Pública

minha coluna desta semana no jornal Sem Censura:

Eita palavras tão usadas atualmente, não? É segurança pública pra cá, segurança pública pra lá, todo mundo fala de segurança pública, todo mundo quer segurança pública, todo mundo – ou quase todo mundo – entende que só tem uma saída pra segurança pública: POLÍdesigual camboriu bcCIA; policiamento; ostensividade; patrulhamento; policiais na rua. Mas, a pergunta que sempre me faço é: em quais ruas? Todas? Sério que um dia conseguiremos colocar policiais em quase todas as ruas da cidade? Todas com carros da PM circulando? O “big brother” observando a todos o tempo inteiro? Sério mesmo que acreditam nisso, vocês que gritam pelas redes sociais e entrevistas e discursos nos legislativos e executivos?

Não, né? Ninguém acredita. Mas todos fingem que acreditam. É melhor continuar bradando: queremos segurança pública! Em Itajaí até já se falou que a Guarda Armada não vai resolver todos os problemas de… segurança pública, mas, teremos, oh, a SENSAÇÃO de segurança!! Sério! Se investirá milhões de reais pra termos… sensação de segurança! E isso nos bastará! Claro que as manchetes de assassinatos (na periferia, quando merecerem manchetes) continuarão, casos de homicídios continuarão, basicamente, do mesmo jeito. Pois estes fatos continuarão acontecendo, onde sempre acontecem: NA PERIFERIA. Pois lá, bem, lá, já sabemos, o povo continuará sem acesso à políticas sérias, POLÍTICAS SOCIAIS de verdade, que os beneficiem, que levem Educação e Saúde e Habitação e Cultura. Mas o que queremos mesmo é policiais nas ruas (“nas NOSSAS ruas”), queremos guarda armada (“pra patrulhar o NOSSO belo bairro super-valorizado”). E, claro, a “opinião pública” será levada a crer que isso é para o bem dela. O povo achará que estará melhor, mais seguro, pois, oras, lá no centro da cidade, o patrulhamento será forte, ostensivo, e acabarão (ha ha ha) os assassinatos de “pessoas de bem(s)” nos belos bairros da nossa cidade! E a imprensa, que não dá muita bola pras mortes na periferia, começará a dar loas pela “sensação de segurança” que estaremos vivendo (na parte “boa” da cidade), enquanto, é claro, as estatísticas de mortes continuarão praticamente inalteradas.

Mas, querem a solução? Não há solução! Não a curto prazo, nem a médio. Vivemos sob o jugo do Capitalismo, e o Capitalismo precisa da pobreza (que vende barato sua mão-de-obra). “Ah, mas temos países ricos, onde não há pobreza”. Sim, mas ALI não há pobreza. E quase certamente porque a pobreza foi/é gerada em outro lugar para gerar a riqueza daquele “país rico” (ou acham que a Europa é rica porque são melhores que nós?); um exemplo local é Balneário Camboriú e Camboriú. E é assim que será, ainda, por muitos anos, décadas. Continuaremos com um contingente grande de marginalizados, e a única “solução” é esta apresentada pela maioria da classe política e afins: mais polícia. Depois, quando percebermos que esta não é a solução, restará a segregação dos bairros periféricos; isso mesmo, quem vive nas periferias violentas praticamente estará isolado do resto da cidade (como já vem acontecendo, sorrateiramente, aos poucos). E, assim, o Capitalismo seguirá, “invencível”, contando com o apoio, inclusive, dos que são marginalizados, oprimidos pela pujança dos cada vez mais ricos (“ah, trabalharam tanto pra isso, né?”), inventando novas fórmulas para corrigir seus problemas cíclicos, até, quem sabe, a destruição de todas as riquezas naturais do nosso planeta, tudo para consumirmos coisas que não precisávamos, mas, que enriquecem ainda mais alguém – e, consequentemente, mantendo outros na marginalidade. Esse é o resumo dos nossos problemas, inclusive, o da segurança pública.

Anúncios

7 Respostas to “A solução para os problemas de Segurança Pública”

  1. Leandro Says:

    É simples, eduquem as crianças para não precisar punir quando adultos.

    • Rômulo Mafra Says:

      Não adianta só isso, Milhouse. As crianças que serão educadas, que tem e terão acesso à boa educação ainda são poucas. As famílias estão cada vez mais desestruturadas, e não vejo melhoras pra isso num futuro próximo. E sem as famílias estruturadas, não há educação formal que dê jeito. Sem amor de pai e mãe em casa, não teremos bons cidadãos.

  2. André Says:

    Não tive como deixar de lhe enviar esta notícia, acabo de ler.

    http://www.mpsc.mp.br/portal/servicos/imprensa-e-multimidia/noticias/mpsc-ajuiza-acao-contra-contratacao-irregular-de-advogado-pelo-porto-de-itajai.aspx

    O Ministério Público de SC, ajuizou Ação Civil Pública contra parte da “cúpula” do Porto de Itajaí, por conta da contratação irregular de um advogado para atuar para o Porto.

    Dá uma lida na notícia, está no site do MP.

    Pelo que dá pra percebe,r a licitação teve várias irregularidades, atente-se para este trecho da notícia: “convidando sócios e conhecidos para participarem do certame”, ou seja, pelo visto, houve claramente um direcionamento da licitação. Curiosamente, a licitação foi realizada por meio de carta convite, e”convidaram” os chegados, rsrssr

    Fico imaginando se isto tivesse ocorrido no governo Volnei Morastoni, certamente seria capa do DIARINHO com direito a fotos de todos, vamos ver como será agora.

    REPITO: SE FOSSE NO GOVERNO VOLNEI SERIA CAPA DO DIARINHO, COM DIREITO A FOTO DE TODOS, QUERO VER AGORA COMO VAI SER.

    Abraços

  3. Everton Says:

    Tá querido, e qual a solução??? O que você faria como agente público? O que faria para combater a criminalidade hoje? Como você vai fazer com um menor de idade, protegido pelo ECA e que agride o professor, trafica dentro da escola, mata, rouba, estupra??? O que você vai fazer quando for assaltado, estuprado etc? Vai ligar para o Batmam?

    • Rômulo Mafra Says:

      Não tem solução enquanto não se diminuir a DESIGUALDADE, enquanto não se combater o consumismo (que aumenta a desigualdade)! É simples. O que sobra são os paliativos, a não ser que todas as cidades de grande e médio porte resolvam investir pesado em políticas assistenciais, além de se focar na Saúde, Educação e Cultura, no mínimo. Porém, o povo não quer saber disso, infelizmente… aí sobra pra gente reclamar.
      O que se fazer quando for assaltado etc. etc.? Aí já envolve a Justiça também, que precisa de uma reforma séria. E sim, é claro que, neste momento, precisamos de policiamento nas RUAS, só que precisamos em TODAS as ruas, não só nas ruas dos bairros mais centrais — e mais, precisamos DESMILITARIZAR a polícia urgentemente.

  4. Elio Says:

    Na gestão dos militares a cidade possuía população de 50mil e a população carcerária era de.20 ladrões de galinha no antigo presidio da joca Brandão com 7 de setembro. Hoje temos 200 mil habitantes e mais de 4mil presos. Sinal que o povo sem medo da justiça e sábio da impunidade comete crimes e o povo que se soda.
    CUba é um pais livre de crimes. Não tem nada para se roubar. Viva o socialismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: