E lá vamos nós discutir a Guarda Armada de Itajaí novamente

(e ontem, foi votada — exceto pelos vereadores Calinho Mecânico, Anna Carolina e Giovani Felix — a criação da Guarda armada de Itajaí… abaixo, a minha coluna desta semana para o Sem Censura, sobre o assunto)

Não se engane, a repressão policial, em linhas gerais, só serve à elite.

Não se engane, a repressão policial, em linhas gerais, só serve à elite.

Parece que nesta semana teremos, finalmente, a tão aguardada discussão na Câmara de Vereadores sobre a Guarda Armada de Itajaí, ou, pelo menos, a votação do tal projeto na CVI. O que acho engraçado é que a mídia local continua colocando uma pesquisa do Instituto de Pesquisas da Univali como um dos grandes arcabouços para se aprovar uma guarda que consumirá cerca de cinco milhões de reais por ano do NOSSO dinheiro. Cinco milhões de reais, repito. Por ano! (Lembrando que esse valor sempre pode crescer, e crescerá) E aí pergunto ao itajaiense, aquele que votou em massa no Jandir Bellini, que votou em massa no Aécio Neves e no atual governador Raimundo Colombo, esse dinheiro não poderia estar sendo investido em outros lugares? Ah, talvez não, pois provavelmente uma parte virá de captações junto até mesmo o governo federal, se não me engano. Porém, o desperdício de dinheiro público com pessoal e maquinário e imobiliário para tamanha empreitada virá todinho da nossa prefeitura, inclusive, do próprio esforço de captação destas verbas que irão para “melhorar a sensação de segurança” da cidade. E já falei disso aqui na coluna, é tão-somente para violencia sartre“melhorar” a “sensação” de segurança. Não teremos melhoria efetiva na SEGURANÇA, mesmo porque, se o leitor não sabe, repressão policial nunca melhorou a segurança efetivamente. Veja o caso de Balneário Camboriú, onde a tal Guarda Municipal (que é armada) atua basicamente na parte onde circulam os turistas da cidade. O povo, a periferia, ah, essa que se vire. Investimentos na área social? – que ajuda a melhorar a vida da população mais carente –, isso a gente dá alguma coisinha. O importante é a SENSAÇÃO de segurança. Enfim, vivemos numa era de aparências, portanto, a aparência de segurança (outra tradução para “sensação) é muuuuito importante, porém, para aqueles que já têm outros tipos de acessos à saúde, educação etc. Para os da periferia, sobrará o de sempre, já que, pra muitos desse governo municipal, “a culpa é deles que não lutaram para estarem onde eu estou agora”, o manjadíssimo discursinho da “meritocracia”, uma palavra tão em voga e que vergonhosamente é usada até mesmo por pessoas que deveriam saber que meritocracia é apenas mais uma palavra usada para deixarem os pobres na mesma vala comum em que sempre viveram, à margem da sociedade.

Veremos isso tudo sendo repetido nesta semana em que provavelmente teremos a votação do projeto na CVI, e, claro, pelo que tenho notado, teremos encabeçando o movimento por lá, o nosso “grande” vereador, o Zé, aquele que é enxovalhado nas redes sociais, mas, na mídia local, já é tratado como um “grande vereador”. Fazer o que, cada cidade tem o líder que merece, que elege, e que adula (ou será que é só mais uma jogada de marketing – apoiada por parte da mídia local –, uma “sensação de inteligência”?).

Anúncios

Tags: , , ,

Uma resposta to “E lá vamos nós discutir a Guarda Armada de Itajaí novamente”

  1. Celso Says:

    Gosto muito dessa história de “Sensação” de Segurança… Vamos falar de sensação, de sentir… Quando andamos na Rua e vemos uma viatura de Polícia, sentimos que estamos sendo observados e os meliantes também, assim somos tomados por um sentimento de segurança, da mesma forma que quando somos atacados, temos um número de telefone que ligamos para pedir ajuda e temos permanentemente a “sensação” que existe um número de telefone que se ligar alguém vai nos ajudar. Segundo estudos, e muitos estudos a Policia apenas responde o ataque, mas não evita, pois não tem efetivo para prevenir, para estar presente, para dar a “sensação” de segurança. O Triangulo do crime estabelece 3 fatores para um delito ocorrer, um criminoso, uma vítima e um local favorável, o local favorável, só deixa de ser favorável, se houver a sensação de segurança, só assim deixará de ocorrer um crime… Então quando se fala em Sensação, fico abismado, como se isso fosse algo ruim, que não resolve… Guardas Municipais são elementos preventivos, que dão “sensação” de segurança, que atuam em flagrante de delito ao se depararem com ele ocorrendo, afinal do que vale uma ação repressora após um crime ocorrer, o trauma, a dor, tudo fica marcado na alma, experiência própria! E vou mais além um pouco, um vigia, esses que encontramos em prédios etc., tem a finalidade de prover sensação de segurança e pagamos por isso, caro. As comunidades mais pobres, ficam à mercê e quando o município, estado resolve fazer alguma coisa, mesmo não sendo suficiente, levanta-se pedras e mais pedras…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: