Entrevista bombástica desnuda a Saúde de Itajaí!

frase1antes disso, um e-mail também revelador sobre como a gestão da Saúde municipal está completamente abandonada (para o povo), e direcionada apenas para a política de cargos da nossa vice-prefeita, e do qual o nosso prefeito tem conhecimento pleno, porém, nada faz, pois, também, não é cobrado pelo povo, e conta com a ajuda da amiga imprensa, aquela que adora viajar pelo mundo pra cobrir a Volvo Ocean Race, sabe-se lá com que recursos:

Não se resolve os problemas quando não se conhece as causas. Investimentos na Volvo R$ 9,1 milhões, investimentos para prevenção de Dengue R$ 400 mil

Segundo a Lei 11445/07, pode-se deduzir que a proliferação do Aedes é devido as péssimas gestões de saneamento ambiental em Santa Catarina, principalmente em alguns Municípios. Encontrei dados interessantes, o plano de saneamento básico em Itajaí, pouco ou nada foi discutido com a sociedade, foi feito parcialmente e aprovado em 20 de dezembro de 2013, me refiro a Lei 11.445/07, quando deveria ter sido entregue integralmente em até 03/08/2012, embora tenha sido determinado o plano tratando de esgotamento sanitário, água de abastecimento, resíduos sólidos e gestão de águas pluviais, foi entregue apenas abastecimento de água e esgotamento sanitário, o plano de resíduos sólidos deveria ter sido entregue em agosto de 2014, no entanto, houve a primeira audiência apenas em outubro de 2014, este pode ter sido um fator importante na proliferação do mosquito Aedes e outros como Culex , que comumente chamamos de pernilongos, a diferença entre as espécies, os 2 se proliferam em águas de regime estacionário, com matéria orgânica, um com menos e outro mais, mas é mito que o mosquito se prolifere em “água limpa”. Este mito se criou pela antiga FUNASA, nos anos 80, devido no nordeste, milhares de pessoas deixarem a caixa d’agua aberta, trazendo muitas outras doenças, o mito melhorou em muito a situação, mas ficou no registro, assim como o mito do frango com hormônio, que não existe. O problema é que o assunto no Brasil, como em outros países o repasse de informação é muito lento, tem gente que acredita que agrotóxico não faz mal, tem deputado que afirma que não faz mal a ninguém. Lembrete: Inseticidas contra o AEDES precisam ser a base de ICARIDINA, senão não irá ter eficácia. Outro ponto que chamamos atenção é que já há uma infinidade de publicações sobre a resistência das larvas de AEDES e Culex aos inseticidas químicos utilizados para controle das larvas, geralmente a base de organofosforados e piretróides. Assim como as “superbactérias¨ e suas resistências para alguns antibióticos http://saudepublica.bvs.br/pesquisa/resource/pt/lil-433390 Canal de evolução Não resta dúvidas de que a falta de saneamento básico influencia diretamente na proliferação de potenciais vetores de patogenicidades. É bastante interessante perceber o quanto alguns gestores gostam de concreto, talvez seja para pagar os empréstimos da campanha do ano passado e 2012, estudos das planícies naturais de alagamentos, recuperar e conservar a mata ciliar, nunca ouvimos falar, coletar e tratar adequadamente o esgoto, está longe de ser uma realidade, investir milhões e mais milhões e mais milhões em concreto é tradicional, os dados mostram que pouca ou quase nada de mata ciliar dos rios desta região obedecem a Lei Ambiental, apenas 0,8% da população possui coleta e tratamento adequado de esgoto, talvez este número possa ter melhorado um pouco, quem sabe para até uns 3% nos últimos anos, ainda assim, diariamente são lançados milhares e milhares de esgoto nos rios desta região, que irão assorear o famoso canal de evolução. Mas, é com concreto e aditivos que eles pagam as dívidas dos empréstimos das eleições, não é mesmo? Se puder com vários aditivos. Não é curioso o quanto a tal TRIUNFO dou para campanha? 670 mil reais!

xxx…xxx…xxx

e, agora, vamos aos trechos interessantíssimos da entrevista do servidor efetivo Emerson Gonçalves para o jornal Sem Censura da semana passada (para ler a entrevista completa, clique aqui):

frase2JSC – Como é a gestão da saúde em Itajaí? Emerson – A Gestão da Saúde no Município de Itajaí é amadora e carregada de interesses políticos e pessoais. A interferência política é muito grande da vice-prefeita. Muitos membros da imprensa falam que a vice-prefeita tem que assumir a Saúde novamente, pois acham que ela é a grande solução, mas não é e nunca será. Todavia, é importante ressaltar, que ela nunca deixou a Saúde. Secretários assumem, mas sabem que quem manda na gestão da saúde é a vice-prefeita. A última palavra é dela. Desta forma, fica impossível fazer gestão assim, com interferências que atendem mais interesses políticos e pessoais do que realmente o interesse de corrigir falhas e qualificar a gestão, que, aliás, está um caos, um amadorismo sem precedentes. (…)

frase3JSC – Mas a Secretaria de Saúde possui em seus quadros servidores técnicos.. Emerson – (…) O que nós temos na Saúde há muito tempo, é a velha prática política nefasta de administrar a coisa pública, a visão do velho modelo de saúde. Essas pessoas são anti-SUS e parecem que não sabem ou não admitem, até porque a maioria desse grupo não conhece nada do SUS, e o pior é que essas pessoas lideradas pela vice-prefeita, é que decidem as coisas na Saúde. Temos uma gestão equivocada na Saúde e parece claro que vários setores, incluindo a imprensa, ignoram essa situação. Temos (…) servidores que não cumprem horário, proteção de pessoas ligadas a vice-prefeita, impunidade, conivência, omissão, enfim, tudo que não pode existir numa gestão. (…) Enfim, a Saúde é um grande navio, porém, com um motor de barco e esse motor é a gestão amadora que temos há muito tempo.

JSC – O que fazer para mudar essa situação? Emerson – Nós temos que exigir que se faça gestão na Saúde. A Saúde não tem dono, apesar de pessoas ligadas a vice-prefeita acharem que tem. (…) É preciso fazer uma grande reforma na Saúde e isso perpassa por grandes mudanças, investir na Atenção Básica, principalmente na Estratégia Saúde da Família, exoneração de cargos comissionados incompetentes, combate a impunidade, já que temos muitos servidores efetivos que só pensam no seu salário final do mês, etc. (…) Precisamos também do apoio da Câmara de Vereadores, no cumprimento de seu papel fiscalizador da saúde etc, e eu, como outros servidores, estamos à disposição para ajudar.

frase4JSC – Uma das grandes reclamações da comunidade é a falta de médicos. Médicos cumprem horário? Emerson – Não cumprem. (…) Só que não adianta fazer reuniões com médicos só para mostrar que estão tentando cobrar o horário desses profissionais, porque isso é enganar a população. A gestão da Saúde tem que ser firme e punir aqueles profissionais médicos que não cumprem horário e também atendam mal a população usuária do SUS. O que estamos vendo há muito tempo, é a gestão passando a mão na cabeça de muitos médicos e fingindo que fiscaliza o horário desses profissionais. Com essa omissão, a gestão da Saúde está provocando danos a população, porque é o pediatra que deixa de atender, o especialista que não cumprindo horário, cria uma fila enorme, e pessoas aguardando meses para uma consulta ou um exame etc.

JSC – Os servidores efetivos estão descontentes com a situação da Saúde em Itajaí? Emerson – Muito descontentes. (…) Essa situação não é novidade para o Conselho Municipal de Saúde, por exemplo, que tem cobrado muito do gestor soluções para a Saúde, todavia, estas reivindicações, recomendações etc., não são atendidas, interesses falam mais alto. E se o Conselho e outros servidores como eu, não estivéssemos fiscalizando muitas situações dentro da Saúde, muitas bobagens seriam cometidas.

frase5JSC – O loteamento político é muito grande? Emerson – Há um excesso de cargos comissionados (que são de livre nomeação e exoneração) na Saúde. Se for analisar a qualificação técnica e competência das pessoas que estão à frente desses cargos, a grande maioria tem que ser exonerada, não serve para estar na Saúde. Temos que lutar por esta redução de cargos. Essas pessoas com algumas exceções estão a serviço de partidos políticos e de pessoas com interesse político, e não a serviço do SUS. Inclusive temos cargos comissionados que são nomeados em funções que jamais exerceram, já que estão desenvolvendo funções que nada tem a ver com a natureza do cargo e com a estrutura do departamento.

frase6_dengue_itajaiJSC – Na campanha contra a dengue, a Prefeitura de Itajaí deixa a entender que o problema é culpa da população. Qual a sua opinião? Emerson – A população tem a obrigação de ajudar o Poder Público a resolver a situação e prevenir a proliferação do mosquito. Alguns cuidados simples, básicos nas residências, com a orientação de agentes de combate às endemias surtem efeitos na prática. Agora, jogar a responsabilidade só para a população é um absurdo. Nós servidores sabemos que a inércia da secretaria de Saúde ajudou a agravar este problema. Desde 2013, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica vem alertando os gestores com relação ao agravamento da situação, já que tinham poucos agentes de combate às endemias a disposição, ocasionado pela ausência de novas contratações e também pelo desvio de função em que se encontravam vários agentes. Agentes de combate às endemias na Diretoria de Vigilância Sanitária, no Canil Municipal etc., falta de ações intersetoriais entre departamentos da própria secretaria de Saúde, enfim uma série de fatores criaram essa situação. Num país com consciência política e com reconhecimento do real papel das instituições públicas, onde a população fiscaliza os atos públicos, já tinha sido exonerado muita gente, a começar pelo gestor. E isso seria um fato político catastrófico para qualquer governo. Neste sentido, afirmo sim, que a inércia da gestão da Saúde ajudou a agravar a situação.

JSC – Diante de tanta inércia, existe a chance de mudarmos o quadro da dengue? Emerson – Vai ser difícil a recuperação, até porque há muitos equívocos na condução dessa epidemia. A gestão dessa crise não está sendo conduzida pela secretaria de Saúde, que deveria estar à frente de tudo com o apoio de outras secretarias, mas não da forma como se apresenta hoje, um gabinete de crises, onde a grande maioria são políticos e não técnicos, chefiados pela vice-prefeita, que, aliás, já sabia que essa situação poderia se agravar lá em 2013, se nada fosse feito a tempo.

frase7SC – Pode-se afirmar então que a Saúde está sem rumo administrativo? Emerson – Com certeza. Por exemplo, temos um grande número de cargos comissionados que estão lá dentro, que acham que podem fazer o que querem, não respeitam hierarquia, acham que só devem satisfação a vice-prefeita e pronto. Aliás, disse isso várias vezes, o gabinete do secretário não é na Saúde, é na prefeitura, ou seja, no gabinete da vice-prefeita. É de lá que vem as ordens e é lá que pessoas próximas a ela na Saúde decidem as coisas há muito tempo. Essa interferência é nociva à Saúde, desta maneira, não se pode ter uma estrutura administrativa funcionando corretamente. É muita gente querendo mandar e atender interesses pessoais, enquanto isso a população sofre. O atual secretário com poucos dias dentro da Saúde foi nomeado para a função, sem ter no momento condições técnicas para assumir essa responsabilidade, e os resultados estão aí. Essa nomeação foi para atender um interesse político da vice-prefeita, a gestão da saúde ficou em segundo plano. A justificativa dada pela vice-prefeita numa emissora de TV quando questionada pelo apresentador do porquê dessa nomeação, ela justificou que ele estava preparado, já tinha sido secretário de saúde. Nesta fala a vice-prefeita esqueceu que isso foi a mais de 20 anos, uma época em a Saúde de Itajaí era uma estrutura pequena e sem a complexidade de serviços que tem hoje. Instrumentos de gestão surgiram, novos serviços surgiram, novas pactuações, etc. (…)

2 Respostas to “Entrevista bombástica desnuda a Saúde de Itajaí!”

  1. Emerson Says:

    Rômulo,

    Eles não querem fazer gestão na Saúde. Há muitos interesses políticos envolvidos. Fui exonerado, recebi o comunicado no final da tarde de sexta-feira. Além disso, me colocaram a disposição da Secretaria de Administração. Não querem que eu fique na Saúde.

    A luta continua.

    Emerson Gonçalves

  2. Priscila Ferrera Says:

    parabéns pela coragem, mas eles que estão no poder, fazem que querem, enganam. e povo com olhos vendado…é muito triste a nossa política que governa para poucos e os mais necessitado sempre pagam o preço…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: