Culpar uma criança é muito fácil…

gralha odio discursoNa semana passada ouvi no programa de rádio “Sacode News” algumas opiniões que me incomodaram. Principalmente por eu ter colocado aqui na coluna um “apoio” ao programa. Nada contra a expressão de opinião. Porém, como tô dando este apoio, vou usá-lo para contrapor o que foi falado lá, mesmo para que não pensem que concordo com tudo que é dito no programa, bem como também não concordo com tudo o que sai neste jornal Sem Censura, por exemplo; sou apenas um colunista ao qual foi me dado este espaço que utilizo semanalmente, não sou editor ou tenho quaisquer poderes de decisão etc. (pois na semana passada um radialista aqui de Itajaí me parabenizou pela capa da última edição eheheheheh).

Mas vamos ao assunto que quero tratar. É sobre um vídeo que circulou nas redes sociais há umas duas semanas, onde uma criança de 7 anos que por algum motivo desconhecido, começa a derrubar e jogar coisas numa sala dentro de uma escola/creche. Incrivelmente, a reação da maioria das pessoas, inclusive no programa que citei no começo, é de criticar a criança. E de todos os criticaram a criança, nenhum deles se dignou a criticar a atitude vergonhosa de quem FILMOU e DIVULGOU (pior ainda!) o tal vídeo, expondo ao ridículo uma criança! (alguns chegaram ao ponto de falar que tinha de ter chamado a polícia, ou que ela já devia ter sido presa!!!)

Sério, gente, estamos indo por um caminho muito estranho. Este tipo de ÓDIO que temos visto diariamente exposto na internet, ou até mesmo já ganhando as ruas, é muitíssimo perigoso. E quando isso é incentivado ainda por quem tem o poder de persuasão da mídia, a coisa fica ainda mais perigosa! Em vez de criticarmos a inação de quem estava presente na cena deixando o menino fazer o que fez, ou de quem filmou a cena e jogou na internet (e, pasmem, cometeu um crime!, praticamente ignorado pelos que criticaram a criança) o vídeo, não, vamos atacar diretamente uma criança!

E aí quase ninguém se pergunta os motivos que levaram uma criança a um acesso de fúria daqueles! Ou qual a culpa dos pais que fizeram com que ele tivesse a reação que teve? Quem sabe até, poderíamos nos perguntarmos, enquanto sociedade, qual a nossa culpa? Ou somos apenas seres isolados? Ou uma criança deve mesmo pagar pelo que faz, ela tem plena consciência daquilo ali?, sabe que está sendo filmada, ridicularizada enquanto quem é pago para ter um preparo contra aquilo fica dizendo que não se pode encostar na criança (baseado em que? No Estatuto da Criança é que não é)? Alguém se interessa em saber que o menino (que é do Rio de Janeiro) começou a ter problemas quando o irmão foi embora pra Bahia com o pai? Conseguimos ter empatia suficiente pra saber como é ter o irmão que amamos indo embora com o pai (ausente) pra muito, muito longe (não me venham comparar com morte, pois é diferente)? Conseguimos ver além de uma porcaria de um vídeo ou vamos ser superficiais assim até o fim de nossas vidas e acharmos que atacar uma criança é o ponto correto? Achar que o que resolveria seria “uma surra de cinta”? Mais violência? Esse é o ponto? Até onde vamos descer?

da minha coluna no Sem Censura

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: