Archive for the ‘Política’ Category

Dilma encosta em Serra

abril 4, 2010

do blog do Luis Nassif:

Vox Populi: Serra lidera e Dilma volta a crescer

Da redação

Pesquisa divulgada neste sábado pelo instituto Vox Populi mostra que o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, se mantém na liderança. Dilma Rousseff, do PT, volta a crescer e reduziu a diferença para apenas três pontos percentuais.

O ex-governador de São Paulo aparece com 34 por cento das intenções de voto, mesmo percentual de janeiro. A ex-ministra da Casa Civil Dilma Roussef, do PT, subiu quatro pontos percentuais e segue na segunda posição, com 31%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Ciro Gomes, do PSB, vem em terceiro lugar, com 10%. Marina Silva, do PV, está em quarto lugar com 5% das intenções de voto. Votos nulos e brancos somam 7%, enquanto 13% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

Sem Ciro
Em um cenário sem Ciro Gomes, Serra aparece com 38%. Dilma vem a seguir, com 33% e é seguida por Marina Silva, com 7% das intenções. Brancos e nulos contabilizam 7%, enquanto os que não quiseram ou não souberam responder somam 15%.

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=284749

Alécio e suas entrevistas

abril 2, 2010

imperdíveis… no seu blog, duas entrevistas, com a deputada comunista Ângela Albino e outra com o neotucano José Roberto Provesi… abaixo, trecho da entrevista da deputada:

Em entrevista exclusiva à esta coluna, a presidente estadual do PC do B, Ângela Albino, usou o mesmo termo ao se referir ao atual governador de Santa Catarina. Com palavras fortes, ela criticou o fato de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) ter passado o governo para o tucano.

leia o resto, é claro, no blog do Fernando Alécio

"Finalmente, o amanhã"

abril 2, 2010

do HSLiberal:

O ministro do Paulo Vannuchi criticou a imprensa brasileira nesta terça-feira (30/03) “por agir como uma espécie de partido de oposição, (…) confundindo um papel que seria dela – informar, cobrar e denunciar – com o protagonismo partidário, que é transformar isso em ações de conteúdo unilateral”. Não se trata de uma afirmação gratuita. Vem de uma confissão pública da presidente da Associação de Jornais (patronal), Judith Brito, que é também diretora-superintendente da empresa que edita a Folha de S Paulo. Segundo Judith: “Na situação atual, em que os partidos de oposição estão muito fracos, cabe a nós dos jornais exercer o papel dos partidos. É o que estamos fazendo”.

A afirmação de Judith se deu durante evento realizado há duas semanas em São Paulo, para associações patronais ligadas a jornais, revistas e TVs, para discutir a liberdade de imprensa. “A liberdade de imprensa não pode ser só a liberdade privada da imprensa brasileira”, disse nesta segunda-feira (29/03) o presidente da CUT, Artur Henrique, botando o dedo bem no centro da ferida. Ele quer a realização de debates sobre a democratização dos meios de comunicação.

No embalo da CUT, durante o lançamento do PAC2, o presidente Lula também atacou: “Se o pesquisador do futuro recorrer aos jornais de hoje, contará uma historia mentirosa”. Obama, de um lado, Chávez, de outro, também andam a reclamar da imprensa dos seus países. O primeiro, porque um grupo de mídia lhe faz oposição sistemática. O Último porque foi a mídia que lhe apeou do poder em 2002, e porque continua tentando até hoje. Os choramingos de Serra e Berlusconi contra a imprensa não contam, são choros de barriga cheia.

“Lula disse bem”, diz Mino Carta na última Carta Capital. Nossa imprensa costuma ser conservadora em relação aos grandes temas da humanidade e se aliar automaticamente aos interesses de Washington, no campo da economia e da política. É capaz de denunciar, de pronto, supostas práticas desleais do comércio da China, mas se cala diante de comprovadas práticas desleais praticadas anos a fio pelos EUA. Como no caso do algodão, arbitrado pela OMC. Não quer Washington, também não quer nossa imprensa, que o Brasil seja recompensado na forma da lei internacional. Mas quer que o exército brasileiro invada a Bolívia por querer negociar preço justo para seu gás.

Tem razão Artur Henrique. Nossa mídia prefere condenar o governo cubano por também supostas lesões aos direitos humanos, mas se cala diante de torturas em cárceres dos Estados Unidos espalhados pelo mundo. Divulga sem cessar casos de enfrentamento de opositores diante do governo autoritário iraniano e esconde ou banaliza a chuva de bombas que Israel despeja sobre civis palestinos. Aceita como verdadeira a “gana” do Irã por armas atômicas (lembre-se das armas de destruição em massa do Iraque), mas se cala diante do arsenal atômico de Israel.

Também se cala diante de milhares de artefatos atômico nos arsenais das grandes potências. E aplaudem esses países demasiadamente armados, como diz o ministro Samuel Pinheiro Guimarães, quando “pretendem desarmar os desarmados totalmente, até o último estilingue”.

Nossa mídia defendeu o golpe contra Chávez em 2002, como defendeu o golpe contra Zelaya em 2009. E viu na eleição do novo presidente de Honduras, feita pelos golpistas, um processo limpo. Esqueceu de mostrar as dezenas de mortes de seguidores do presidente deposto.

A imprensa brasileira finge-se de morta para o novo perfil do Brasil diante das nações e faz cara de paisagem para o protagonismo do presidente Lula nas esferas internacionais. É uma história dos tempos de hoje que os pesquisadores do futuro poderão garimpar sem passar por mentirosos, desde que consultem os arquivos dos jornais de fora do Brasil. Como no exemplo do The Wall Street Journal desta segunda-feira (29/03), matéria de capa, em cuja visão, “Para o Brasil, finalmente é o amanhã”. Mais: “A ascensão do Brasil como um gigante econômico é um dos maiores temas de nosso tempo. Não está somente redefinindo a América Latina, mas também a economia do mundo inteiro.”

Leia no original:

"Finalmente, o amanhã"

abril 2, 2010

do HSLiberal:

O ministro do Paulo Vannuchi criticou a imprensa brasileira nesta terça-feira (30/03) “por agir como uma espécie de partido de oposição, (…) confundindo um papel que seria dela – informar, cobrar e denunciar – com o protagonismo partidário, que é transformar isso em ações de conteúdo unilateral”. Não se trata de uma afirmação gratuita. Vem de uma confissão pública da presidente da Associação de Jornais (patronal), Judith Brito, que é também diretora-superintendente da empresa que edita a Folha de S Paulo. Segundo Judith: “Na situação atual, em que os partidos de oposição estão muito fracos, cabe a nós dos jornais exercer o papel dos partidos. É o que estamos fazendo”.

A afirmação de Judith se deu durante evento realizado há duas semanas em São Paulo, para associações patronais ligadas a jornais, revistas e TVs, para discutir a liberdade de imprensa. “A liberdade de imprensa não pode ser só a liberdade privada da imprensa brasileira”, disse nesta segunda-feira (29/03) o presidente da CUT, Artur Henrique, botando o dedo bem no centro da ferida. Ele quer a realização de debates sobre a democratização dos meios de comunicação.

No embalo da CUT, durante o lançamento do PAC2, o presidente Lula também atacou: “Se o pesquisador do futuro recorrer aos jornais de hoje, contará uma historia mentirosa”. Obama, de um lado, Chávez, de outro, também andam a reclamar da imprensa dos seus países. O primeiro, porque um grupo de mídia lhe faz oposição sistemática. O Último porque foi a mídia que lhe apeou do poder em 2002, e porque continua tentando até hoje. Os choramingos de Serra e Berlusconi contra a imprensa não contam, são choros de barriga cheia.

“Lula disse bem”, diz Mino Carta na última Carta Capital. Nossa imprensa costuma ser conservadora em relação aos grandes temas da humanidade e se aliar automaticamente aos interesses de Washington, no campo da economia e da política. É capaz de denunciar, de pronto, supostas práticas desleais do comércio da China, mas se cala diante de comprovadas práticas desleais praticadas anos a fio pelos EUA. Como no caso do algodão, arbitrado pela OMC. Não quer Washington, também não quer nossa imprensa, que o Brasil seja recompensado na forma da lei internacional. Mas quer que o exército brasileiro invada a Bolívia por querer negociar preço justo para seu gás.

Tem razão Artur Henrique. Nossa mídia prefere condenar o governo cubano por também supostas lesões aos direitos humanos, mas se cala diante de torturas em cárceres dos Estados Unidos espalhados pelo mundo. Divulga sem cessar casos de enfrentamento de opositores diante do governo autoritário iraniano e esconde ou banaliza a chuva de bombas que Israel despeja sobre civis palestinos. Aceita como verdadeira a “gana” do Irã por armas atômicas (lembre-se das armas de destruição em massa do Iraque), mas se cala diante do arsenal atômico de Israel.

Também se cala diante de milhares de artefatos atômico nos arsenais das grandes potências. E aplaudem esses países demasiadamente armados, como diz o ministro Samuel Pinheiro Guimarães, quando “pretendem desarmar os desarmados totalmente, até o último estilingue”.

Nossa mídia defendeu o golpe contra Chávez em 2002, como defendeu o golpe contra Zelaya em 2009. E viu na eleição do novo presidente de Honduras, feita pelos golpistas, um processo limpo. Esqueceu de mostrar as dezenas de mortes de seguidores do presidente deposto.

A imprensa brasileira finge-se de morta para o novo perfil do Brasil diante das nações e faz cara de paisagem para o protagonismo do presidente Lula nas esferas internacionais. É uma história dos tempos de hoje que os pesquisadores do futuro poderão garimpar sem passar por mentirosos, desde que consultem os arquivos dos jornais de fora do Brasil. Como no exemplo do The Wall Street Journal desta segunda-feira (29/03), matéria de capa, em cuja visão, “Para o Brasil, finalmente é o amanhã”. Mais: “A ascensão do Brasil como um gigante econômico é um dos maiores temas de nosso tempo. Não está somente redefinindo a América Latina, mas também a economia do mundo inteiro.”

Leia no original:

120 autuações no Semasa????

abril 1, 2010

do blog do Gerd Klotz:

O secretário de obras, Tacísio Zanelato,entrevistado hoje por mim no PRIMEIRO JORNAL, da Conceição 105.9 fm, afirmou que já autuou o Semasa 120 vezes por conta do mau acabamento dos serviços de recalçamento das ruas da cidade, onde a empresa contratada pela autarquia, executa as obras de saneamento básico, com recursos do PAC.

Os calçamentos que já eram ruins, principalmente após a enchente de novembro de 2008, agora ficaram piores.

Diante deste número significativo de autuações do Semasa, que por sua vez deve cobrar da empresa prestadora do serviço, mais qualidade na finalização da obra, não seria o caso do Ministério Público lançar seu olhar fiscalizador sobre essa empresa?

E os nossos vereadores não estariam devendo pronunciamentos firmes, cobrando mais qualidade na prestação destes serviços?

leia o texto completo no blog do Gerd

120 autuações no Semasa????

abril 1, 2010

do blog do Gerd Klotz:

O secretário de obras, Tacísio Zanelato,entrevistado hoje por mim no PRIMEIRO JORNAL, da Conceição 105.9 fm, afirmou que já autuou o Semasa 120 vezes por conta do mau acabamento dos serviços de recalçamento das ruas da cidade, onde a empresa contratada pela autarquia, executa as obras de saneamento básico, com recursos do PAC.

Os calçamentos que já eram ruins, principalmente após a enchente de novembro de 2008, agora ficaram piores.

Diante deste número significativo de autuações do Semasa, que por sua vez deve cobrar da empresa prestadora do serviço, mais qualidade na finalização da obra, não seria o caso do Ministério Público lançar seu olhar fiscalizador sobre essa empresa?

E os nossos vereadores não estariam devendo pronunciamentos firmes, cobrando mais qualidade na prestação destes serviços?

leia o texto completo no blog do Gerd

Macagnan tá voltando!?

março 31, 2010

trecho da coluna do FERNANDO ALÉCIO no DIARINHO de hoje:

“João Macagnan sendo cogitado, não pode ser reforma administrativa, deve ser ‘restauração’ administrativa…”, observação de um leitor.

FERROVIA
Como a coluna havia antecipado na semana passada, a “ferrovia do frango”, que ligará Itajaí à fronteira com a Argentina, está incluída no PAC 2. Segundo o deputado estadual Pedro Uczai (PT), “cerca de R$ 85 milhões já estão assegurados somente para a execução do projeto executivo da obra entre Chapecó e Itajaí e do projeto de viabilidade entre Chapecó e Dionísio Cerqueira”.

PORTO
Conforme a assessoria de imprensa do porto de Itajaí, do total de R$ 1,59 trilhão de investimentos previstos no PAC 2, R$ 145 milhões “serão destinados a duas obras no porto de Itajaí”. Serão obras na retroárea e alinhamento do cais. A solenidade de lançamento do PAC 2, ocorrida segunda-feira, em Brasília, foi acompanhada pelo superintendente do porto, Antônio Ayres dos Santos Junior.

DILMA
“O Brasil retomou a rota do desenvolvimento. Mas o governo Lula, um governo do qual nos orgulhamos muito de fazer parte, não aceita outro caminho que não seja o do desenvolvimento com distribuição de renda”, discursou a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à presidência da República, no lançamento do PAC 2. “Vencemos os tempos de incertezas”.

Esse Codetran…

março 30, 2010

DO DIARINHO:

Leitor abelhudo garante tá rolando treta na junta Administrativa de Recursos de Infrações de Itajaí (Jari). Mesmo sendo proibido pelo regimento interno da junta, a agente de trânsito Karina Dionísio representa a coordenadoria de Trânsito (Codetran) da prefeitura na Jari. José Alvercino Ferreira, chefão da Codetran, garante que Karina não atua como agente de trânsito e sim como fiscal dos guardinhas e que, por isso, poderia compor a junta. É na Jari onde se julgam os recursos de multas de trânsito e por isso os guardinhas não podem participar.
Pela lei que criou a Jari, o órgão deve ser integrado por cinco titulares e cinco suplentes. Na lei tá previsto que um dos membros deve ser indicado pela Codetran.
Até aí tudo bem. O problema é que o artigo 9º do regimento interno da junta diz o seguinte: “o membro integrante da Jari não pode estar ligado diretamente à atividade fiscalizadora de trânsito”. Pro leitor que fez a denúncia, não faz sentido a mesma pessoa que multa, julgar se a punição tá correta ou não. “Ela tá atuando nas ruas e também faz parte da junta. Isso é ilegal”, afirma.
O chefão da Codetran tem outra interpretação. O bagrão afirma que Karina é fiscal e, desde que assumiu a junta, não multa ninguém. “São os fiscais quem organizam onde os guardas devem agir. Os fiscais vão pras ruas, mas só pra fiscalizar os agentes. São os agentes que multam, não os fiscais”, fez questão de dizer Zé Alvercino, completando: “Se por ventura a Karina multar alguém, não vai poder participar do julgamento da Jari. Daí entra o suplente”.
Pro advogado Fábio Fabeni, a lei é clara. Apesar da composição da Jari contar com a presença de um representante da Codetran, não faz sentido o fiscal que emite a multa ser o mesmo que julga o processo na junta. “Isso acaba com a imparcialidade”, avalia.

Já tem história
A agente de trânsito Karina Dionísio tá sendo investigada pelo Detran, o órgão estadual de trânsito, por suspeitas de irregularidades no centro de Formação de Condutores Dionísio, onde era diretora. A autoescola foi fechada em 2002 por acusação de fraude em certificados.
Karina também é esposa de Peterdione Manerich, que já foi bagrão da Codetran e chegou a ser exonerado do cargo, acusado de falsificar o valor das mensalidade da faculdade pra ganhar mais grana pela bolsa de estudo que a prefeitura dá pros funcionários públicos.

Codetran perdidinho… [2]

março 28, 2010

e falando sobre a instalação e retirada de dois semáforos em menos de um mês (clique aqui para ler), vendo uma matéria na TV Brasil Esperança (aquela mesma que teria recebido — através de sua fundação — muitas doações do queijo — e que acabou derrubando a secretária de Desenvolvimento Social de Itajaí) agora pouco sobre a mudança da mão das vias, incrivelmente não vi UMA PERGUNTA sobre o motivo de terem colocado os semáforos pra poucos dias depois terem que retirar os mesmos.

mas, perguntar pra que, né? era o Zé Bellini, a “estrela do governo”, o cara que manda mais na cidade do que o prefeito, se duvidar, que bota um funcionário público suspeito de crime contra a prefeitura como diretor e que depois é flagrado com o carro em casa e tem sua cabeça afagada pelo mesmo Zé.

sorria, Itajaí, sorria…

Ainda querem privatizar o Porto de Itajaí?

março 26, 2010

notas da coluna do Fernando Alécio no Diarinho:

PORTO 1
“Não acredito que alguém vai cometer esta desventura de querer privatizar o porto de Itajaí”. Assim o deputado federal Décio Lima (PT) respondeu ao ser questionado pela coluna sobre o possível arredamento do que resta de público do porto de Itajaí, como pretende o governo Jandir Bellini (PP), sendo o porto reconstruído e o calado aprofundado para 14 metros com dinheiro público.

PORTO 2
“Tenho plena convicção de que tanto o dr. Antônio Ayres, com quem nutro amizade pessoal, quanto o prefeito não irão cometer uma desventura desta natureza. Penso eu que eles também têm este sentimento de que o porto é da cidade, o porto é nosso”, afirmou Décio, que em 2008 foi acusado de propor a federalização do porto de Itajaí – o que foi negado por ele depois.

PRIVATIZAÇÕES
Sobre privatizações de uma forma geral, Décio segue o discurso de seu partido. “Foi uma pilhagem do patrimônio público. FHC não privatizou Petrobras, Banco do Brasil e Caixa porque não deu tempo. A grande verdade é essa. O deputado Paulo Bornhausen (DEM) não cansa em afirmar que o caminho é privatizar o país, é o estado mínimo. Se isto tivesse acontecido, o Brasil tinha se enterrado na crise”.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.001 outros seguidores