Archive for the ‘Política’ Category

Mais mudanças na Bellinilândia

abril 6, 2010

segundo o blog do Guido (clique para ler na íntegra), Rogéria Gregório do PSDB vai para a Assistência Social. pro lugar da Rogéria, vai o Clayton Batschauer (PR). já na Criança e Adolescente, deve assumir Fernando Francelino, que é filho do dono da TV Brasil Esperança.

A história de Itajaí indo pro chão

abril 6, 2010

estão acabando com mais um patrimônio de Itajaí.
o antigo prédio que abrigava a estação de trem de Itajaí estava sendo destruído hoje pela manhã. quando passei lá, já tava na metade da demolição deste prédio histórico.
será que o prédio não era tombado???
a prefeitura autorizou?
aliás, pra quem não sabe, aquele prédio ali — bem próximo ao terminal urbano da Fazenda, que está em reforma — já foi da prefeitura (se era alugado, não sei), no governo Volnei, e, acho, no governo Jandir de 2000 a 2004. agora, mais uma parte da história de Itajaí vai para o chão. será que sobra alguma coisa?

Será que Itajaí vai votar no Paulinho?

abril 6, 2010

* o prefeito de Itajaí, Jandir Bellini (PP) e sua vice Dalva Rhenius (DEM) já declararam apoio e voto ao deputado Paulinho Bornhausen (DEM)
* Paulinho Bornhausen — que nasceu no RJ e tem sua base política em Floripa — critica por todos os lados o PAC
* e é filho daquele Bornhausen que disse que iria acabar com a raça do PT
* o PAC — Programa de Aceleração do Crescimento — do governo Lula (PT) está investindo MILHÕES em SC, e alguns desses milhões são exatamente em Itajaí
* interessante é notar que sobre este fato, quase não se fala em Itajaí, e muitos aplaudem Jandir Bellini & Dalva, que aplaudem Paulinho Bornhausen que mete o pau em quem traz dinheiro pra Itajaí
* em suma, Jandir & Dalva estão criticando o PAC que está trazendo milhões em investimentos para Itajaí e SC
* Jandir está do lado de quem?
* Dalva está do lado de quem?
* só do Paulinho?
* e do lado de Itajaí? e de Santa Catarina?
* só para lembrar, toda essa obra de reconstrução do Porto de Itajaí e do Saneamento Básico iniciado no governo Volnei Morastoni (PT),
* é dinheiro do PAC

* pergunte ao Jandir e ao Bornhausen quanto dinheiro veio do governo deles, FHC, nos oito anos em que Bellini governou Itajaí

* mas o Paulinho Bornhausen não quer nem saber
* e o prefeito de Itajaí, Jandir Bellini sua vice também não
* do lado de quem Bornhausen, Jandir & Dalva estão?
* acredite, não é do seu lado não.

"Codetran bota e tira sinaleira em menos de um mês"

abril 5, 2010

e isso tudo saiu aqui no blog faz quase um mês, e só agora o Diarinho fala sobre o assunto (e, claro, nem fala que isso já repercutiu na internet)


Codetran bota e tira sinaleira em menos de um mês
Leitor acusa chefia do órgão de trânsito de não ter planejamento

A denúncia de que algo estranho tá rolando no trânsito das ruas Alberto Werner e José Eugênio Müller, na Vila Operária, em Itajaí, partiu do estudante F.C., 18 anos. O guri questiona a Codetran por ter instalado dois semáforos há 15 dias naquelas ruas, bem na esquina com a movimentada Heitor Liberato, e agora as sinaleiras estão desativadas. Elas não vão mais ser usadas porque que houve mudança de sentido das ruas. “Falam tanto em engenheiro de trânsito, mas cadê a organização?”, detona.
A bronca do jovem é que em fevereiro a Codetran anunciou que novos semáforos iriam ser instalados na city. Cerca de um mês depois chegou a notícia de que duas das quatro sinaleiras seriam colocadas na ruas Alberto Werner e José Eugênio Müller, pertinho da prefeitura e nas esquinas com a Heitor Liberato. Só que menos de duas semanas se passaram e o órgão avisou que as ruas que ganharam os semáforos iriam virar mão única e por isso não terão mais a necessidade das sinaleiras novas. “Pra que instalar então? É um desperdício”, acusa o estudante.
No domingo, dia 28, a Alberto Werner passou a ter sentido único em direção à avenida Irineu Bornhausen, a Caninana. Já a José Eugênio Müller segue da Caninana pra rua João Gaya.
Ontem à tarde, o DIARINHO deu um chego no local pra conferir o reclamo de F. Os dois semáforos instalados há poucos dias estão desligados e com um saco preto em volta dos sinais luminosos.

O chefão explica
José Alvercino Ferreira, chefão da Codetran, garante que não há desperdício no caso da sinaleira. “A instalação dos equipamentos onde eles estão hoje, já estava prevista no projeto. O preço não aumentou por conta disso. A empresa que instalou vai retirar sem custo adicional nenhum”, garantiu.
Zé explicou que os trambolhos foram metidos naquele ponto da Alberto Werner e da José Eugênio Müller, provisoriamente. “As sinaleiras foram colocadas pra controlar o trânsito porque o local tinha duplo sentido e era bem complicado. Enquanto era finalizado o processo de implantação da mão única, os semáforos serviram de auxílio”, alega.
Na semana que vem, os polêmicos semáforos vão sair de onde estão. “Eles vão permanecer nas mesmas ruas, só que em pontos mais à frente. Isso faz parte da segunda etapa da implantação do sentido único”, explicou.

Quando Itajaí começará a ser governada?

abril 5, 2010
semanas atrás, o prefeito de Itajaí Jandir Bellini afirmava que seu governo tinha começado neste ano de 2010 (não acreditas, não és de Itajaí?, leia aqui), em primeiro de janeiro.
agora, como viu que a coisa mesmo não começou ainda (e, pelo jeito, tá longe de começar), afirma que seu governo ainda nem começou, mas vai começar, é claro, depois da Reforma Administrativa (aquela, prometida meses atrás). segundo ele, agora é que realmente começa seu terceiro mandato.
quer dizer, agora não, daqui a pouco, quem sabe, na segunda-feira quando for instituída de vez a tal reforma (apelidada de “puxadinho”). aí sim, a coisa vai. ninguém sabe para onde, mas vai.
e alguém duvida de que ouviremos este mesmo tipo de frase (“agora é que vai começar meu governo”) quando o Porto de Itajaí ficar pronto, daqui alguns (vários?) meses????
eu não duvido nem um pouco.

semanas atrás, o prefeito de Itajaí Jandir Bellini afirmava que seu governo tinha começado neste ano de 2010 (não acreditas, não és de Itajaí?, leia aqui), em primeiro de janeiro.agora, como viu que a coisa mesmo não começou ainda (e, pelo jeito, tá longe de começar), afirma que seu governo ainda nem começou, mas vai começar, é claro, depois da Reforma Administrativa (aquela, prometida meses atrás). segundo ele, agora é que realmente começa seu terceiro mandato. quer dizer, agora não, daqui a pouco, quem sabe, na segunda-feira quando for instituída de vez a tal reforma (apelidada de “puxadinho”). aí sim, a coisa vai. ninguém sabe para onde, mas vai.e alguém duvida de que ouviremos este mesmo tipo de frase (“agora é que vai começar meu governo”) quando o Porto de Itajaí ficar pronto, daqui alguns (vários?) meses????eu não duvido nem um pouco.

Dilma encosta em Serra

abril 4, 2010

do blog do Luis Nassif:

Vox Populi: Serra lidera e Dilma volta a crescer

Da redação

Pesquisa divulgada neste sábado pelo instituto Vox Populi mostra que o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, se mantém na liderança. Dilma Rousseff, do PT, volta a crescer e reduziu a diferença para apenas três pontos percentuais.

O ex-governador de São Paulo aparece com 34 por cento das intenções de voto, mesmo percentual de janeiro. A ex-ministra da Casa Civil Dilma Roussef, do PT, subiu quatro pontos percentuais e segue na segunda posição, com 31%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Ciro Gomes, do PSB, vem em terceiro lugar, com 10%. Marina Silva, do PV, está em quarto lugar com 5% das intenções de voto. Votos nulos e brancos somam 7%, enquanto 13% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

Sem Ciro
Em um cenário sem Ciro Gomes, Serra aparece com 38%. Dilma vem a seguir, com 33% e é seguida por Marina Silva, com 7% das intenções. Brancos e nulos contabilizam 7%, enquanto os que não quiseram ou não souberam responder somam 15%.

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=284749

Dilma encosta em Serra

abril 4, 2010

do blog do Luis Nassif:

Vox Populi: Serra lidera e Dilma volta a crescer

Da redação

Pesquisa divulgada neste sábado pelo instituto Vox Populi mostra que o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, se mantém na liderança. Dilma Rousseff, do PT, volta a crescer e reduziu a diferença para apenas três pontos percentuais.

O ex-governador de São Paulo aparece com 34 por cento das intenções de voto, mesmo percentual de janeiro. A ex-ministra da Casa Civil Dilma Roussef, do PT, subiu quatro pontos percentuais e segue na segunda posição, com 31%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Ciro Gomes, do PSB, vem em terceiro lugar, com 10%. Marina Silva, do PV, está em quarto lugar com 5% das intenções de voto. Votos nulos e brancos somam 7%, enquanto 13% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

Sem Ciro
Em um cenário sem Ciro Gomes, Serra aparece com 38%. Dilma vem a seguir, com 33% e é seguida por Marina Silva, com 7% das intenções. Brancos e nulos contabilizam 7%, enquanto os que não quiseram ou não souberam responder somam 15%.

http://www.band.com.br/jornaldaband/conteudo.asp?ID=284749

Alécio e suas entrevistas

abril 2, 2010

imperdíveis… no seu blog, duas entrevistas, com a deputada comunista Ângela Albino e outra com o neotucano José Roberto Provesi… abaixo, trecho da entrevista da deputada:

Em entrevista exclusiva à esta coluna, a presidente estadual do PC do B, Ângela Albino, usou o mesmo termo ao se referir ao atual governador de Santa Catarina. Com palavras fortes, ela criticou o fato de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) ter passado o governo para o tucano.

leia o resto, é claro, no blog do Fernando Alécio

"Finalmente, o amanhã"

abril 2, 2010

do HSLiberal:

O ministro do Paulo Vannuchi criticou a imprensa brasileira nesta terça-feira (30/03) “por agir como uma espécie de partido de oposição, (…) confundindo um papel que seria dela – informar, cobrar e denunciar – com o protagonismo partidário, que é transformar isso em ações de conteúdo unilateral”. Não se trata de uma afirmação gratuita. Vem de uma confissão pública da presidente da Associação de Jornais (patronal), Judith Brito, que é também diretora-superintendente da empresa que edita a Folha de S Paulo. Segundo Judith: “Na situação atual, em que os partidos de oposição estão muito fracos, cabe a nós dos jornais exercer o papel dos partidos. É o que estamos fazendo”.

A afirmação de Judith se deu durante evento realizado há duas semanas em São Paulo, para associações patronais ligadas a jornais, revistas e TVs, para discutir a liberdade de imprensa. “A liberdade de imprensa não pode ser só a liberdade privada da imprensa brasileira”, disse nesta segunda-feira (29/03) o presidente da CUT, Artur Henrique, botando o dedo bem no centro da ferida. Ele quer a realização de debates sobre a democratização dos meios de comunicação.

No embalo da CUT, durante o lançamento do PAC2, o presidente Lula também atacou: “Se o pesquisador do futuro recorrer aos jornais de hoje, contará uma historia mentirosa”. Obama, de um lado, Chávez, de outro, também andam a reclamar da imprensa dos seus países. O primeiro, porque um grupo de mídia lhe faz oposição sistemática. O Último porque foi a mídia que lhe apeou do poder em 2002, e porque continua tentando até hoje. Os choramingos de Serra e Berlusconi contra a imprensa não contam, são choros de barriga cheia.

“Lula disse bem”, diz Mino Carta na última Carta Capital. Nossa imprensa costuma ser conservadora em relação aos grandes temas da humanidade e se aliar automaticamente aos interesses de Washington, no campo da economia e da política. É capaz de denunciar, de pronto, supostas práticas desleais do comércio da China, mas se cala diante de comprovadas práticas desleais praticadas anos a fio pelos EUA. Como no caso do algodão, arbitrado pela OMC. Não quer Washington, também não quer nossa imprensa, que o Brasil seja recompensado na forma da lei internacional. Mas quer que o exército brasileiro invada a Bolívia por querer negociar preço justo para seu gás.

Tem razão Artur Henrique. Nossa mídia prefere condenar o governo cubano por também supostas lesões aos direitos humanos, mas se cala diante de torturas em cárceres dos Estados Unidos espalhados pelo mundo. Divulga sem cessar casos de enfrentamento de opositores diante do governo autoritário iraniano e esconde ou banaliza a chuva de bombas que Israel despeja sobre civis palestinos. Aceita como verdadeira a “gana” do Irã por armas atômicas (lembre-se das armas de destruição em massa do Iraque), mas se cala diante do arsenal atômico de Israel.

Também se cala diante de milhares de artefatos atômico nos arsenais das grandes potências. E aplaudem esses países demasiadamente armados, como diz o ministro Samuel Pinheiro Guimarães, quando “pretendem desarmar os desarmados totalmente, até o último estilingue”.

Nossa mídia defendeu o golpe contra Chávez em 2002, como defendeu o golpe contra Zelaya em 2009. E viu na eleição do novo presidente de Honduras, feita pelos golpistas, um processo limpo. Esqueceu de mostrar as dezenas de mortes de seguidores do presidente deposto.

A imprensa brasileira finge-se de morta para o novo perfil do Brasil diante das nações e faz cara de paisagem para o protagonismo do presidente Lula nas esferas internacionais. É uma história dos tempos de hoje que os pesquisadores do futuro poderão garimpar sem passar por mentirosos, desde que consultem os arquivos dos jornais de fora do Brasil. Como no exemplo do The Wall Street Journal desta segunda-feira (29/03), matéria de capa, em cuja visão, “Para o Brasil, finalmente é o amanhã”. Mais: “A ascensão do Brasil como um gigante econômico é um dos maiores temas de nosso tempo. Não está somente redefinindo a América Latina, mas também a economia do mundo inteiro.”

Leia no original:

"Finalmente, o amanhã"

abril 2, 2010

do HSLiberal:

O ministro do Paulo Vannuchi criticou a imprensa brasileira nesta terça-feira (30/03) “por agir como uma espécie de partido de oposição, (…) confundindo um papel que seria dela – informar, cobrar e denunciar – com o protagonismo partidário, que é transformar isso em ações de conteúdo unilateral”. Não se trata de uma afirmação gratuita. Vem de uma confissão pública da presidente da Associação de Jornais (patronal), Judith Brito, que é também diretora-superintendente da empresa que edita a Folha de S Paulo. Segundo Judith: “Na situação atual, em que os partidos de oposição estão muito fracos, cabe a nós dos jornais exercer o papel dos partidos. É o que estamos fazendo”.

A afirmação de Judith se deu durante evento realizado há duas semanas em São Paulo, para associações patronais ligadas a jornais, revistas e TVs, para discutir a liberdade de imprensa. “A liberdade de imprensa não pode ser só a liberdade privada da imprensa brasileira”, disse nesta segunda-feira (29/03) o presidente da CUT, Artur Henrique, botando o dedo bem no centro da ferida. Ele quer a realização de debates sobre a democratização dos meios de comunicação.

No embalo da CUT, durante o lançamento do PAC2, o presidente Lula também atacou: “Se o pesquisador do futuro recorrer aos jornais de hoje, contará uma historia mentirosa”. Obama, de um lado, Chávez, de outro, também andam a reclamar da imprensa dos seus países. O primeiro, porque um grupo de mídia lhe faz oposição sistemática. O Último porque foi a mídia que lhe apeou do poder em 2002, e porque continua tentando até hoje. Os choramingos de Serra e Berlusconi contra a imprensa não contam, são choros de barriga cheia.

“Lula disse bem”, diz Mino Carta na última Carta Capital. Nossa imprensa costuma ser conservadora em relação aos grandes temas da humanidade e se aliar automaticamente aos interesses de Washington, no campo da economia e da política. É capaz de denunciar, de pronto, supostas práticas desleais do comércio da China, mas se cala diante de comprovadas práticas desleais praticadas anos a fio pelos EUA. Como no caso do algodão, arbitrado pela OMC. Não quer Washington, também não quer nossa imprensa, que o Brasil seja recompensado na forma da lei internacional. Mas quer que o exército brasileiro invada a Bolívia por querer negociar preço justo para seu gás.

Tem razão Artur Henrique. Nossa mídia prefere condenar o governo cubano por também supostas lesões aos direitos humanos, mas se cala diante de torturas em cárceres dos Estados Unidos espalhados pelo mundo. Divulga sem cessar casos de enfrentamento de opositores diante do governo autoritário iraniano e esconde ou banaliza a chuva de bombas que Israel despeja sobre civis palestinos. Aceita como verdadeira a “gana” do Irã por armas atômicas (lembre-se das armas de destruição em massa do Iraque), mas se cala diante do arsenal atômico de Israel.

Também se cala diante de milhares de artefatos atômico nos arsenais das grandes potências. E aplaudem esses países demasiadamente armados, como diz o ministro Samuel Pinheiro Guimarães, quando “pretendem desarmar os desarmados totalmente, até o último estilingue”.

Nossa mídia defendeu o golpe contra Chávez em 2002, como defendeu o golpe contra Zelaya em 2009. E viu na eleição do novo presidente de Honduras, feita pelos golpistas, um processo limpo. Esqueceu de mostrar as dezenas de mortes de seguidores do presidente deposto.

A imprensa brasileira finge-se de morta para o novo perfil do Brasil diante das nações e faz cara de paisagem para o protagonismo do presidente Lula nas esferas internacionais. É uma história dos tempos de hoje que os pesquisadores do futuro poderão garimpar sem passar por mentirosos, desde que consultem os arquivos dos jornais de fora do Brasil. Como no exemplo do The Wall Street Journal desta segunda-feira (29/03), matéria de capa, em cuja visão, “Para o Brasil, finalmente é o amanhã”. Mais: “A ascensão do Brasil como um gigante econômico é um dos maiores temas de nosso tempo. Não está somente redefinindo a América Latina, mas também a economia do mundo inteiro.”

Leia no original:


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.006 outros seguidores