Archive for the ‘Política’ Category

A bandeira oficial de Itajaí

março 5, 2010

na concepção de Felipe Damo:

Porém, faço uma idéia diferente da bandeira, uma vez que ela tem o fundo branco e não azul. Desta maneira as duas bandas azuis – usando um termo gráfico – não “sangrariam” no final da bandeira, ao meu entender.

mande a sua sugestão… ;-)

Mentirolândia

março 5, 2010

novamente DO BLOG FALA ITAJAÍ

Diante dessa forma sofista em que acompanhamos a administração pública de nossa cidade, sendo hoje sexta feira, cabe refletirmos intensamente sobre essa política velha de poucos resultados, altos custos e muita, mas muita mentira marqueteira para enganar a população.

Começam na campanha eleitoral, diante das pesquisas e de sofismas de aloprados de plantão, incia-se uma saraivada de mentiras por um lado mentindo para a população com apócrifos sobre os adversários para trazer para baixo sua vantagem, enquanto isso os sorrisinhos falsos aumentam com outra metralhadora de mentiras em forma de promessas que atingem o lógico do eleitor que necessita muito que aquelas promessas se tornem realidade. Sendo assim, acabam logrando exitosamente o eleitor com suas mentiras. Tipo estelionatários que se beneficiam da própria imoralidade.

Como já diria Lula da Silva, é melhor governar com a verdade, pois uma mentira contada, milhões terão de vir na sequência para justificar a primeira, transformando isso tudo em uma rosca sem fim e prejudicando de sobre maneira o eleitor enganado.

Em Itajaí tem sido assim desde o primeiro mandato de Jandir Bellini, aonde até o asfalto não tinha mais do que cinco centímetros de espessura e servindo apenas para inauguração e se esburacando inteiro na primeira chuva.

leia o artigo completo aqui

Mentirolândia

março 5, 2010

novamente DO BLOG FALA ITAJAÍ

Diante dessa forma sofista em que acompanhamos a administração pública de nossa cidade, sendo hoje sexta feira, cabe refletirmos intensamente sobre essa política velha de poucos resultados, altos custos e muita, mas muita mentira marqueteira para enganar a população.

Começam na campanha eleitoral, diante das pesquisas e de sofismas de aloprados de plantão, incia-se uma saraivada de mentiras por um lado mentindo para a população com apócrifos sobre os adversários para trazer para baixo sua vantagem, enquanto isso os sorrisinhos falsos aumentam com outra metralhadora de mentiras em forma de promessas que atingem o lógico do eleitor que necessita muito que aquelas promessas se tornem realidade. Sendo assim, acabam logrando exitosamente o eleitor com suas mentiras. Tipo estelionatários que se beneficiam da própria imoralidade.

Como já diria Lula da Silva, é melhor governar com a verdade, pois uma mentira contada, milhões terão de vir na sequência para justificar a primeira, transformando isso tudo em uma rosca sem fim e prejudicando de sobre maneira o eleitor enganado.

Em Itajaí tem sido assim desde o primeiro mandato de Jandir Bellini, aonde até o asfalto não tinha mais do que cinco centímetros de espessura e servindo apenas para inauguração e se esburacando inteiro na primeira chuva.

leia o artigo completo aqui

Transparência…?

março 5, 2010

do FALA ITAJAÍ

Jandir Bellini prometeu desenvolver o portal da transparência. Até ai tudo bem, mais uma promessa, agora ele resolveu pinçar o sistema do CIASC que acompanha a prestação de contas através do SFINGE e publicar como se tivesse desenvolvido o sistema de transparência. Ótimo, poderia ser apenas mais uma mentirinha, desde que realmente a transparência existisse. Mas o problema é que Jandir e Dalva não economizam em mentiras e investem cada vez mais nas mentiras amarelas para enrolar a população e a imprensa.

Nas listas de convênios por exemplo, que é um derrame de dinheiro para entidades e que poderíamos analisar a justiça empregada na distribuição dessas subvenções não existe os convênios através de fundos, fundações e autarquias, que são os principais meios de recursos que são disponibilizados. Outra coisa que Jandir ocultou foi a questão dos anos anteriores ao seu mandato para que não houvessem comparações com as despesas com governos anteriores por exemplo.

leia o resto aqui

A bandeira do Professor

março 4, 2010

hoje fui dar uma lida na coluna do Professor Blogueiro no Diário da Cidade pois ouvi que ele comentara sobre a polêmica envolvendo a bandeira oficial de Itajaí lançada neste blog. porém, como sempre o Professor demonstra sua cor partidária (apesar de se declarar neutro, é claro) ao falar que Volnei quis pintar a cidade de vermelho e que Jandir, oh santo prefeito, é que quer acabar com esta prática ignóbil e malvada (pois, o Professor Blogueiro pareceu esquecer que são as cores azuis e amarelas que estão sendo usadas — até de forma bem mal feita, como no caso do Centro de Eventos, e como Jandir amarelou a cidade nos seus últimos oito anos).
depois diz que EU atesto que as cores oficiais da bandeira de Itajaí são o azul e branco.
não, não sou eu, É A LEI MUNICIPAL DESTA CIDADE.

mas, pra não ficar só nisso, no ESCANDALOSO caso registrado pelo vereador petista Níkolas Reis, onde ficou devidamente provado que a cidade de Itajaí arrecadou praticamente a mesma coisa em 2009 (governo Bellini) que no último ano de Volnei (2008) ele também se calou.
a diferença ficou em menos de 0,5% da arrecadação. pra quem não entendeu, Jandir Bellini ficou o ano passado todinho choramingando que Itajaí estava (estava?) parada porque a arrecadação da cidade teria caído, coisa que até o Pisseti (DEM) dizia ser uma falsa afirmação.
e, como no caso anterior, o Professor mostrou suas cores no simples comentário sobre o assunto: “De qualquer forma ficou flagrante o novo alinhamento, mais independente, do presidente Luiz Carlos Pissetti“.
agora, falar sobre a mentira na Bellinilândia?????
nenhuma palavrinha para as páginas do jornal.
quem vê pensa que até o Professor concorda com o tipo de enrolação com que a Bellinilândia tratou e está tratando o povo de Itajaí.

já numa análise sobre 2012 (adiantado, hein?), o Professor já inventou até um slogan que estaria sendo dito pela cidade (?): “Nem Jandir, nem Volnei”.
provavelmente o Professor já está percebendo que o cenário para Bellini daqui dois anos está feio (e só nisso ele acerta), porém, esta história de “nem Volnei” já é uma forçada de barra daquelas.
ele sabe que Volnei tem tudo pra ganhar de lavada pra Deputado Estadual e no que isso implica pra daqui dois anos.
e sabe que provavelmente Volnei lembrará de como foi tratado pelo Professor antes e durante as eleições.
por isso, já tenta forçar que o petista nem tente se candidatar e que uma “terceira via” da esquerda itajaiense saia em 2012.
agora, como disse, ele está correto na avaliação que Jandir Bellini está seriamente comprometido para 2012, devido principalmente ao que estamos vendo há mais de um ano de (des)governo.
porém, vou lembrar que a possível reeleição de Jandir está esfumaçeando todas as manhãs lá pros lados da Itaipava.
a Usina de Asfalto.
alguém duvida de que esse será o trunfo de Bellini no ano que vem?
agora, se vai funcionar, só o futuro nos dirá.
agora, uma nota interessante e importante da coluna do Professor Blogueiro nesta quinta-feira, fala sobre uma votação da terça.
claro que, o Professor não emitiu nenhum juízo maior sobre o assunto. apenas uma implicação. leia abaixo (aliás, é de se perguntar se TODOS eles votaram a favor???):

Do jeito mais discreto que foi possível os vereadores de Itajaí votaram na última sessão projeto de emenda a Lei Orgânica Municipal (de autoria de todos os vereadores) suprimindo alínea que impede os vereadores de assumirem cargos de primeiro escalão no Poder Executivo, como presidência de Fundações e superintendência de autarquias. Se a lei for modificada um vereador pode se licenciar da Câmara para assumir o Porto ou a Semasa e depois retornar ao exercício legislativo sem qualquer ônus. Dizem que o projeto deve beneficiar o próprio presidente Luiz Carlos Pissetti, que sonha em retornar para o comando do Semasa.

P.S.: agora que acabei de ler o blog do Professor sobre o assunto da bandeira, vi que parece que temos dois professores blogueiros. um que escreve pro Diário da Cidade e outro, um pouco mais imparcial, que escreve no blog.
o.O

Sem palavras…

março 4, 2010

não sei… cada vez mais o governo de São Jandir Bellini me deixa sem palavras para maiores comentários… até onde vai isso tudo, não sabemos e temos medo das previsões (feitas com base no passado recente principalmente no presente). os negritos são meus:

JC no Diarinho de hoje:

Quem guenta o tranco?
A ong Passos da Integração recebe quase R$ 500 mil por ano pra cuidar de 17 crianças. Já a creche São Francisco de Assis, que cuidava de 50 crianças, recebia a mixaria de R$ 72 mil anuais. Vivendo de parcos recursos e da ajuda de voluntários, acabou fechando as portas.

abaixo, a matéria do DIARINHO sobre o mesmo assunto:

As 50 crianças que foram pro olho da rua depois que a creche São Francisco de Assis, no Imaruí, fechou as portas, ainda não têm lugar pra ficar. A entidade deixou de funcionar na semana passada, alegando que faltavam voluntários pro trampo. A bomba caiu no colo da secretaria de Educação, que promete resolver o problema só no mês de abril. Por causa do perrengue, as mães dos pequerruchos tão sendo obrigadas a faltar no trabalho e têm que sivirar nos 30 pra trazer dinheiro pra casa.
A diarista Gabrieli Evelin, 19, diz que teve que se afastar do serviço depois que a escolinha fechou, e tá faltando grana até pra comer. “Desde quinta-feira não consigo mais botar dinheiro pra dentro de casa. Temos que pagar aluguel, água e luz que tão atrasados. Sem falar que tá faltando dinheiro pra alimentação. Consegui comprar um pouco de comida fiado no mercadinho”, reclama.
A mãe Silvana Sassimann, 20, também tá com dificuldades. “Com certeza isso tá prejudicando o orçamento da família, porque estou faltando um bocado de serviço por causa da creche”, afirma.
A presidente da entidade, Jurema Elbert, explica que teve que fechar as portas porque tava com dificuldades pra manter a creche há bastante tempo. Ela não recebia muita ajuda financeira, e tinha poucos voluntários. A secretária de Educação, Maria Heiddemann, diz que tentou assumir a creche, mas a entidade alegou que o estatuto não permitia que a prefa ficasse com a responsapelo espaço. “Tentamos de todas as formas seguir com o trabalho, mas eles não cederam o espaço pra nós”, garante.
Mesmo diante do impasse, a secretaria de Educação ainda não se mexeu pra arrumar um local que possa abrigar os pequenos enquanto as mães trabalham. A prefa mantém três creches pra pimpolhada do Imaruí, mas Maria Heiddemann afirma que não tem como remanejar as crianças da São Francisco de Assis pra alguma delas por falta de vagas. “As outras unidades estão superlotadas. Não tem outra solução senão buscar uma nova casa, mas isso deve acontecer só em abril”, lasca.

Sem palavras…

março 4, 2010

não sei… cada vez mais o governo de São Jandir Bellini me deixa sem palavras para maiores comentários… até onde vai isso tudo, não sabemos e temos medo das previsões (feitas com base no passado recente principalmente no presente). os negritos são meus:

JC no Diarinho de hoje:

Quem guenta o tranco?
A ong Passos da Integração recebe quase R$ 500 mil por ano pra cuidar de 17 crianças. Já a creche São Francisco de Assis, que cuidava de 50 crianças, recebia a mixaria de R$ 72 mil anuais. Vivendo de parcos recursos e da ajuda de voluntários, acabou fechando as portas.

abaixo, a matéria do DIARINHO sobre o mesmo assunto:

As 50 crianças que foram pro olho da rua depois que a creche São Francisco de Assis, no Imaruí, fechou as portas, ainda não têm lugar pra ficar. A entidade deixou de funcionar na semana passada, alegando que faltavam voluntários pro trampo. A bomba caiu no colo da secretaria de Educação, que promete resolver o problema só no mês de abril. Por causa do perrengue, as mães dos pequerruchos tão sendo obrigadas a faltar no trabalho e têm que sivirar nos 30 pra trazer dinheiro pra casa.
A diarista Gabrieli Evelin, 19, diz que teve que se afastar do serviço depois que a escolinha fechou, e tá faltando grana até pra comer. “Desde quinta-feira não consigo mais botar dinheiro pra dentro de casa. Temos que pagar aluguel, água e luz que tão atrasados. Sem falar que tá faltando dinheiro pra alimentação. Consegui comprar um pouco de comida fiado no mercadinho”, reclama.
A mãe Silvana Sassimann, 20, também tá com dificuldades. “Com certeza isso tá prejudicando o orçamento da família, porque estou faltando um bocado de serviço por causa da creche”, afirma.
A presidente da entidade, Jurema Elbert, explica que teve que fechar as portas porque tava com dificuldades pra manter a creche há bastante tempo. Ela não recebia muita ajuda financeira, e tinha poucos voluntários. A secretária de Educação, Maria Heiddemann, diz que tentou assumir a creche, mas a entidade alegou que o estatuto não permitia que a prefa ficasse com a responsapelo espaço. “Tentamos de todas as formas seguir com o trabalho, mas eles não cederam o espaço pra nós”, garante.
Mesmo diante do impasse, a secretaria de Educação ainda não se mexeu pra arrumar um local que possa abrigar os pequenos enquanto as mães trabalham. A prefa mantém três creches pra pimpolhada do Imaruí, mas Maria Heiddemann afirma que não tem como remanejar as crianças da São Francisco de Assis pra alguma delas por falta de vagas. “As outras unidades estão superlotadas. Não tem outra solução senão buscar uma nova casa, mas isso deve acontecer só em abril”, lasca.

Reflexões sobre a Guarda Armada e o IPTU

março 3, 2010

do VEREADOR NIKOLAS REIS

Sem ideias, o homem é como uma máquina programada para cumprir funções. Portanto, não é a ideia em si que me aflige ou causa repúdio, porque tenho prazer em discutir ideias.

A velha história de ter que haver um mocinho e um bandido, isto sim me toma de preocupação, porque a sociedade formadora de opinião contemporânea parece viver apenas de símbolos, heróis e vilões, consumindo o produto, seja ele qual for, de maneira pronta e acabada, se limitando ao julgamento do certo e errado, justo e injusto, não se preocupando em analisar variáveis, contrapontos, e, principalmente, consequências.

Fazer uma enquete ou plebiscito questionando se é bom ou ruim armar uma guarda e respaldar uma ideia legítima em uma pergunta ridícula é zombar do espírito público daqueles que efetivamente conhecem os problemas e querem discutir soluções.

Mas parece que já é sintomático, que nem se faz por mal. John Locke, quando pensou a sua bipartição dos poderes, afirmou que o parlamento deveria ser formado por homens de notório saber, pinçados da sociedade por suas habilidades políticas, possivelmente sabendo que uma decisão democrática não é simplesmente oferecer duas alternativas subjetivas vestidas de boa ou má.

E foi assim no mensalão, em que sobrou apenas um nome esquisito ligado a uma modalidade de corrupção que não se extinguiu, atingindo agora as dimensões do mensalão do DEM–DF, e ainda assim não se atacam as questões centrais.  Os formadores de opinião insistem em sensacionalizar seus discursos, favorecer seus patrocinadores e deformar a opinião pública que se perde e não compreende o papel do político, que por sua vez usufrui deste moto contínuo, e, quando ético, não encontra eco para exercer bem seu trabalho.

No Governo do PT (do programa do Estado forte), os impostos quando não reduzidos permaneceram iguais – a taxa do lixo, por exemplo, foi extinta nas diversas Prefeituras petistas.

Já no Governo do PP, DEM, PSDB (do programa do Estado mínimo), o IPTU-ITBI-ITCM-Alvará, por conta da superatualização da planta genérica, foi ao limite do intolerável e, portanto, revogado.

Por certo os investimentos públicos impõem a contrapartida de receitas também públicas, mas o discurso do saneamento de contas e da redução da carga tributária com otimização de recursos parecem ficar restritos a um discurso oposicionista, porque, enquanto governo, o fisiologismo da megaestrutura pluripartidária agregada não só impede os avanços econômicos e sociais como suga o que sobra para engordar a “porca que de tão gorda já não anda”.

Pois bem. A par do certo e do errado, dos heróis fardados salvadores de uma sociedade que se mata, a pergunta que sobra é: de quem serão a conta e o risco da tal guarda armada?

Podemos amanhã questionar a população se ela aceita ou não a construção de um novo hospital ou um centro de referência em educação em Itajaí. A resposta por certo seria positiva.

Ocorre que faltam médicos nas unidades de saúde; que crianças estão sendo encaminhadas para casa por falta de professores na rede estadual; que o presídio de Itajaí está muito mais do que lotado e a penitenciária dissipou-se como um discurso vazio, não saiu do papel.

Os abnegados empresários (pequenos inclusive) itajaienses já pagaram o tal FUNPOMPOC, que garantiu algum armamento e viaturas para as polícias e ao invés de Itajaí ganhar, perdeu. Perdeu porque quando o estado teve que tomar decisões de para onde encaminhar efetivo ou aparelhos, preferiu as cidades onde não havia tal esmola municipal.

Municipalista que sou, defendo que a Polícia e o Juizado de Pequenas Causas sejam da cidade, a exemplo do modelo norte-americano. Assim é garantida agilidade na prestação da justiça e fiscalização de eventuais abusos da autoridade.

Por isso a necessidade não só de uma reforma tributária, política e do judiciário, mas de uma reforma político-administrativa no Brasil, para que se conjugue a manutenção de uma política inclusiva, mas tornando o custo estatal mais barato e permitindo o desenvolvimento.

O atual modelo, no entanto, é outro. Quando se afronta o modelo ocorrem falhas de concepção e consequentes abusos, como foi o caso da abordagem de uma criança de 13 anos na Rua Hercílio Luz, que pode ser perfeitamente comparado ao caso do aumento abusivo do IPTU.

Resumindo, não cabe ao Município a gestão de polícia, e os recursos só existirão se algum tributo for majorado ou os demais serviços prejudicados.

Quais as cores da bandeira de Itajaí? [a resposta]

março 3, 2010

LEI 683 de 23/12/1965

A Bandeira de que trata o artigo anterior, desenho original da firma “Samis Publicidade” contém as seguintes características:

a) as cores serão em branco e azul, sendo o fundo branco com duas listras horizontais em azul;
b) no centro será estampado o Brasão do Município, criado pela Lei nº 338, de 24 de maio de 1960.

segundo os comentários do Luiz Felipe (e o Guido posteriormente), as cores são azuis e branca, baseados na lei acima. seria assim? essa bandeira abaixo, fui em quem fiz, BASEADO NA LEI. talvez o azul seja escuro (cmo usado na maior parte do brasão), mas, usei o azul-ciano e, no meio da bandeira-que-ninguém-conhece, o brasão, como exposto na lei, certo? as perguntas que devem ser feitas agora são óbvias:

1) quem (e quando) fez a tal bandeira usada hoje em dia como “oficial”???

2) por que esconderam esta bandeira que está na lei (se é que ela foi escondida)?

3) e agora, segundo aquela lei criada pela então vereadora Dalva Rhenius (Lei Ordinária nº 5218/2008 de 19/12/2008) em que diz que os prédios públicos devem ser pintados de acordo com a COR PREDOMINANTE (azul) NA BANDEIRA de Itajaí???? vão mudar as cores que já estão usando? vão mudar a bandeira?

a dúvida é se é com este azul claro ou…

… este com o azul mais escuro… eu preferiria o azul mais claro, o primeiro… mas, alguém deve ter visto esta bandeira em algum momento da história da nossa Itajaí

Quais as cores da bandeira de Itajaí? [a resposta]

março 3, 2010

LEI 683 de 23/12/1965

A Bandeira de que trata o artigo anterior, desenho original da firma “Samis Publicidade” contém as seguintes características:

a) as cores serão em branco e azul, sendo o fundo branco com duas listras horizontais em azul;
b) no centro será estampado o Brasão do Município, criado pela Lei nº 338, de 24 de maio de 1960.

segundo os comentários do Luiz Felipe (e o Guido posteriormente), as cores são azuis e branca, baseados na lei acima. seria assim? essa bandeira abaixo, fui em quem fiz, BASEADO NA LEI. talvez o azul seja escuro (cmo usado na maior parte do brasão), mas, usei o azul-ciano e, no meio da bandeira-que-ninguém-conhece, o brasão, como exposto na lei, certo? as perguntas que devem ser feitas agora são óbvias:

1) quem (e quando) fez a tal bandeira usada hoje em dia como “oficial”???

2) por que esconderam esta bandeira que está na lei (se é que ela foi escondida)?

3) e agora, segundo aquela lei criada pela então vereadora Dalva Rhenius (Lei Ordinária nº 5218/2008 de 19/12/2008) em que diz que os prédios públicos devem ser pintados de acordo com a COR PREDOMINANTE (azul) NA BANDEIRA de Itajaí???? vão mudar as cores que já estão usando? vão mudar a bandeira?

a dúvida é se é com este azul claro ou…

… este com o azul mais escuro… eu preferiria o azul mais claro, o primeiro… mas, alguém deve ter visto esta bandeira em algum momento da história da nossa Itajaí


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 976 outros seguidores