Archive for the ‘Artigo’ Category

As relações perigosas da Dupla Face

setembro 3, 2015

só lembrando, a minha coluna no Sem Censura (que está sendo publicada aqui, como faço normalmente) é enviada geralmente aos domingos para a diagramação do jornal, portanto, às vezes, sai com uma ou outra coisa atrasada, o que é normal neste tipo de coluna. sim, alguns dos que aparecem ali já estão soltos, porém, a imagem se refere aos que FORAM presos em algum momento desta operação. Sadi, Paulo Praun e Ricardo Bittencourt já foram soltos. o advogado André Xavier (conhecido como Oncinha) está preso desde quinta-feira.
uma outra informação corrigida, repassada pela irmã de Ricardo, é que ele não tem mais sociedade no escritório de advocacia com o filho da vice-prefeita Dalva Rhenius (PSB), porém, os dois aparecem lado a lado em ações atuais, numa consulta básica no Google.

As relações perigosas da Dupla Face

Na sexta-feira, 28, aconteceu a SEXTA prisão de “abobrões” do governo Jandir/Dalva na Operação Dupla Face, comandada pelo Gaeco. Exatamente o nome que Jandir Bellini (PP) indicou para ficar no lugar do procurador-geral do município que fora preso na segunda-feira na deflagração da operação! O procurador preso na sexta era indicação da vice-prefeita Dalva Rhenius (PSB). Ricardo Bittencourt é advogado e tem um escritório onde, todos dizem, teria ou teve sociedade com o filho da vice-prefeita. O procurador-geral preso na segunda era da cota do prefeito Jandir Bellini, e fora vereador pelo mesmo partido do prefeito, o PP, anos atrás.

arte blog gaecoJá o vereador preso Douglas Cristino (PSD), e que estava ocupando o cargo de secretário indicado pelo prefeito (todos os secretários são indicados pelo prefeito), estranhamente, meses atrás, fora preterido (?) pelo prefeito (?) para ser até mesmo PRESIDENTE DA CÂMARA, como tinha sido acordado entre os vereadores governistas em 2013, quando elegeram o vereador do PP Osvaldo Gern presidente da casa.

Estranhamente, uma das escutas até agora relevada da operação e que está no inquérito, leva a um prédio construído onde era um terreno do próprio prefeito Jandir Bellini, pelo menos até na eleição de 2008, constava como patrimônio do prefeito. Claro que ele deve ter vendido, imagino eu. Porém, este prédio agora em construção e que será o maior residencial da cidade é citado como um dos possíveis esquemas de corrupção através de achaques de fiscais e com envolvimentos destes cargos comissionados do governo Jandir/Dalva. Neste esquema específico a obra foi embargada porque os donos do empreendimento não quiseram pagar a propina que fiscais teriam pedido. Ah sim, importante lembrar que numa das páginas vazadas do inquérito, o secretário afastado Tarcizio Zanellato (PP) é citado como sabedor dos esquemas e que teria levado o assunto ao prefeito Jandir Bellini!! E agora, levou? Não levou? Jandir sabia? Se sabia, por que nada fez? Estas perguntas deverão ser respondidas em breve. Se não pelo próprio Gaeco, por uma óbvia CPI que deve vir nos próximos dias.

Anúncios

A barbárie da pena de morte (e dos comentaristas de Facebook)

janeiro 24, 2015

discursos de odioO assunto da coluna desta semana (ainda em tempos de “férias de verão” apesar que a maioria esmagadora dos brasileiros já voltou ao seu trabalho normal), não poderia fugir do que foi comentário no Brasil inteiro: o fuzilamento de um brasileiro por um Estado estrangeiro, pela primeira vez, até onde sabe.

Sim, este ato também considero uma barbárie, um país que legaliza o assassinato de um ser humano, que simplesmente diz “olha, desistimos de tentar a recuperação das pessoas e vamos mandar meter a bala nelas, mesmo sabendo que o tráfico e uso de drogas continuará para, provavelmente, todo o sempre”. É exatamente isto que um país e seus governantes dizem quando apelam para a pena capital, pois se desiste do ser humano, se atinge toda uma família com a retirada do mundo de um membro seu. Sim, sim, sim, os argumentos que defendem este tipo de barbárie (que é do título desta coluna) dizem que ele, UM CARREGADOR de cocaína, acabou com outras famílias. Fora que neste caso específico, sabe-se que o DONO da droga está completamente fora de questão, e mataram apenas o carregador, ou, como se chama na linguagem popular, a “mula” que levava a droga pro país.

Não, não foi ele quem “acabou com famílias” onde membros tiveram ou teriam acesso às drogas. Se fosse pra achar um culpado, seria quem mandou aquele homem pra lá; e pros que acreditam que resolveu matar o brasileiro que carregava drogas pra este senhor que o mandou pra lá, engana-se, pois, sabemos, existe demanda, a única coisa que REALMENTE MUDARÁ, é o fato de que provavelmente o traficante (de verdade) terá de PAGAR MAIS para conseguir mandar outro para lá carregando sua droga.

E acreditem, haverá quem irá se arriscar, pois, vivemos no Capitalismo, e, no Capitalismo, somos induzidos a acreditar que simplesmente quem é rico, é melhor e vive melhor que o resto. Isto já tá quase no nosso DNA de tanto que é repetido dia-a-dia, desde que nascemos! Por isso há demanda para pessoas carregarem drogas para países onde há pena capital. E continuará havendo. Queiram vocês, leitores, acreditarem ou não, reclamarem ou não. É um fato e devemos aceitar. Assim como continuará havendo demanda para o uso de substâncias entorpecentes, e isso já acontece praticamente desde que o homem é homem. E continuará existindo. Pena de morte adianta? Não. Aumento na repressão ao combate às drogas adianta? NÃO. Nem vai. Mas, cada um ainda é livre pra acreditar no que quiser, inclusive que a pena de morte resolve alguma coisa. Como disse meu amigo vereador de Blumenau Jefferson Forest, “nenhum criminoso no planeta deixa de cometer um delito por temor à legislação, os crimes são extinguidos pela construção de valores, ligados a educação, a família e as oportunidades”.

E termino esta coluna com um trecho de um vídeo (abaixo) que deveria ser visto por todo ser humano, de preferência, uma vez a cada semestre, do filme “O Ditador” (o último discurso do Ditador, no clássico), de Charles Chaplin: “(…) Não vos entregueis a esses desumanos, homens-máquinas, com mentes de aço e corações de pedra! Não sois máquinas! Não sois gado! Homens é que sois! E levam o amor da Humanidade nas vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que nunca foram amados. Os mal-amados e desumanos. Não batalheis pela escravidão! Lutai pela LIBERDADE! (…)”.

da minha coluna no Sem Censura

https://www.youtube.com/watch?v=K2K9519Upes

“A Copa que eu vi”

julho 4, 2014

um artigo de Moacir Kienast:

moacir kienast copa 2014Pode soar estranho, mas o que chamou a atenção na Copa que eu vi foi o potencial do brasileiro. Provavelmente pelo nosso complexo vira-lata, expressão criada por Nelson Rodrigues para explicar a crença do brasileiro de que somos piores em relação aos outros.

Explico: fui com minha filha mais velha ao jogo entre França e Nigéria, válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil nesta segunda-feira em Brasília. E as impressões foram as melhores possíveis.

Ao chegar no aeroporto, vi uma infinidade de pessoas e nenhuma fila. Não havia atrasos nos voos tampouco caos no saguão. Havia obras inacabadas, mas que não geravam transtorno aos usuários. Transitar por Brasília foi fácil, principalmente pelas novas estradas que faziam a ligação do aeroporto ao Plano Piloto, local onde fica o estádio nacional Mané Garrincha. O transporte público funcionava integrado ao jogo, com ônibus gratuitos levando torcedores à rodoviária e a outros pontos estratégicos para dispersão do pós-jogo.

Dentro do estádio, além da estrutura fenomenal, a organização e aporte da estrutura física foram itens que me chamaram a atenção. Os voluntários e a segurança trabalhavam em sincronia, proporcionando facilidade tanto para chegar quanto para transitar e sair do estádio. Afinal, o jogo teve um público de 67.882 pessoas, e não levamos mais de 10 minutos para estarmos sentados na cadeira. Os banheiros e lanchonetes estavam funcionando bem e tinha um número impressionante distribuído por todo o estádio, apesar das filas que se formavam.

Esse detalhe das filas é importante, volto a citar em breve. O sinal de telefonia e o 3G estavam funcionando dentro do estádio, havia sinal de wi-fi livre disponibilizado pelas operadoras de celular e o wi-fi do estádio, que precisava de senha porém era de fácil acesso.

Essa está sendo a copa da inclusão. Muitos cadeirantes, pessoas com mobilidade reduzida e inclusive deficientes visuais acompanhavam o jogo. O preço dos produtos no estádio estava acessível, tanto para alimentos e bebidas quanto para os produtos vendidos nas lojas oficiais.

A Copa estimula o turismo e divulga o Brasil. Conversamos com pessoas de nove países diferentes. Torcendo juntas, lado a lado, celebrando a união dos povos e o esporte, todas foram unânimes em reconhecer e elogiar a copa no Brasil, além das belezas do país, visão de todos que vêm nos visitar. Números do Ministério do Turismo mostram que o país recebe poucos turistas comparados a nosso vizinhos. Dinheiro entra com a visita destes turistas, o comércio é estimulado, o setor de serviços também. Porém a maior reclamação foi com a prestação de serviços. E aí voltamos ao assunto da fila.

Faltam pessoas capacitadas para trabalhar e atender o turista estrangeiro. Apesar da boa vontade de todos, característica dos brasileiros, poucos conseguiam se comunicar falando inglês ou a língua de nossos visitantes, principalmente nas lanchonetes do estádio e nos restaurantes, bares e hotéis da cidade.

O espetáculo padrão Fifa é algo surpreendente que não deixa passar um detalhe sequer. Daí onde podemos entender as reinvidacações dos brasileiros. Queremos e podemos ter um Brasil assim. Precisávamos, quem sabe, ter um evento como esta Copa para provar que somos capazes. Pois, se os brasileiros estão seguindo o protocolo e realizando a Copa das Copas, posso dizer que o que queremos depende somente de nós.

Vereadora entra com pedido de Comissão de Ética contra vereador que fez obra pública

março 25, 2014

pp itajaie, enquanto isso, um colonista conhecido de Itajaí, defendia o mesmo vereador dizendo que não havia nada nem de ilegal, nem de imoral, em uma empresa licitada contratar a empresa de um vereador pra fazer obras num projeto público tocado pela própria prefeitura!!!!!!!

já pensaram se fosse, em Itajaí, uma obra do governo federal, e o deputado Volnei Morastoni, por exemplo, tivesse uma empresa e estivesse fazendo obras no Instituto Federal de Santa Catarina, ali ao lado da Câmara de Vereadores? será que o mesmo colonista faria esta defesa tão absurda? ou será que estaria berrando aos quatro ventos a imoralidade, ou até mesmo a ilegalidade de tal ato?

malcolm x imprensa ódio pobresbem, estamos em Itajaí, então, não dá pra esperar muito mesmo de uma “imprensa” que só existe pra rasgar seda pro prefeito e pra viver as custas dos governos municipal e estadual. já falei várias vezes aqui, aliás, já falo sobre isso, se duvidar, desde de 2002, quando iniciei este blogue: a imprensa, no geral (com as raras exceções conhecidas), é um câncer pra sociedade. não, não sou a favor do fim da imprensa, é claro, nem poderia ser, pois o que faço aqui é um meio de comunicação, e é considerado por alguns como um meio de imprensa, uma mídia. pelo contrário, sou a favor de uma imprensa ABERTA, digna, que não se venda pra ninguém, que demonstre ao que veio e o que quer, porém, a mesma imprensa que só sabe criticar a classe política, só perde em corrupção pra classe empresarial, que, geralmente, só cresce se estiver grudada em algum político (leia-se corrupção&corruptor), pois, um dos piores meios de corrupção, é a venda de opiniões, o tratamento exclusivo, a blindagem de políticos, mediante acordos financeiros diversos.

voltando ao caso do vereador Tonho da Grade, que é do mesmo partido do prefeito Jandir Bellini, o PP, a vereadora Anna Carolina (PRB) foi quem entrou com o pedido na Comissão de Ética da Câmara de Vereadores de Itajaí, e, também, com uma representação no Ministério Público, provavelmente, já antecipando que pouco ou quase nada deve sair de uma Câmara totalmente controlada pelo governo municipal. a seguir, trecho da matéria do Diarinho: “O procurador da prefa, Rogério Ribas, diz que esta semana deve ser divulgado no diário oficial do município a instauração de um procedimento administrativo pra investigar todas as denúncias que envolvem a obra. Quase uma semana depois que soube do quiprocó, a vereadora Anna Carolina protocolou a denúncia contra Tonho da Grade na comissão de Ética da casa do povo. “Esperei, porque assim que saiu a matéria, recebemos outras denúncias contra o vereador, mas o que protocolei até agora refere-se à obra. Além de imoral, é ilegal o que ele fez”, tasca.”

A civilização deu errado

março 23, 2014

minha coluna da semana passada no jornal Sem Censura: 

civilizacao deu erradoNão tem como achar que estamos no caminho certo, enquanto civilização capitalista cristã-ocidental (ou oriental), quando vemos uma criança de QUATRO anos internada num abrigo da prefeitura. Ou seja, uma criança que simplesmente não tem quaisquer apoio familiar, nem pai, nem mãe, nem um dos quatro avós para lhe dar a devida guarida que ela merecia, para poder ter uma chance, ainda que não muito grande, de ter uma vida não tão ruim. Porém, ela está lá, abandonada nas mãos do Estado, nas mãos do município, e, ainda não sabe, mas as suas chances, que já eram pequenas caso ela vivesse numa família pobre, agora, estão praticamente todas contra ela! Viverá num mundo cercado por pessoas que dificilmente poderá considerar como família, provavelmente, como outras crianças e adolescentes, em alguns anos, já terá mudado algumas vezes de abrigo, enquanto a Justiça vai mudando de opinião, e, claro, sempre jogando no colo do Estado a tutela (não, não é só culpa da Justiça) de alguém que não vai conhecer direito o amor de uma mãe, de um pai, dos irmãos, avós, tios, só saberá que muitos não conseguiram dar o mínimo que ela e toda criança precisa, muitos falharam (e falharão) onde vários outros ao seu redor tiveram sucesso, e que estes muitos que falharam, incluem-se as pessoas mais importantes no mundo pra esta criança: seus pais.

E, daí, vem a nossa sociedade, hipócrita como não poderia deixar de ser neste sistema, cobrar dessa criança quando ela atinge uma idade maior, que seja uma criança bondosa, uma criança calma, que tenha “bons modos”, que não se envolva com “más companhias” (na sua maioria, crianças/adolescentes que tiveram o mesmo modo de vida). “Oras, mas eu tenho um amigo que tem um vizinho que perdeu os pais cedos, e nem por isso entrou pro mundo do crime”, dirá um “cidadão de benZ”, não tenha dúvidas. A sociedade hipócrita adora colocar uma exceção como se fosse a regra. “Ah, eu também fui um adolescente ‘arrenegado’, mas nem por isso virei um drogado”, dirá outro “cidadão de bem”. É incrível a capacidade dessa nossa sociedade (preciso repetir que somos hipócritas?) de achar que o mundo gira em torno do nosso umbigo, pois, oras, “se EU consegui, por que o outro não conseguiu? Se ele não conseguiu, bem, é um vagabundo, não quis ajuda, não trabalhou como eu”. Somos uma sociedade que prefere simplesmente apontar o dedo para o outro, do que ver que o problema está em nós mesmos (“redução da maioridade penal!!”), em nossa aceitação passiva do sistema Capitalista, marionetes que somos deste sistema caótico&imprevisível, assassino, monopolista e que nos joga todos os dias na cova dos leões, para sermos devorados pelo Capitalismo e nos salvarmos às 18h, quando voltamos para nosso esconderijo (nosso lar), aguardando o fim de semana que nos dará o gás para aturar mais uma semana de trabalho.

Porém, voltemos ao menino de quatro anos que ainda está lá, num abrigo municipal, sem pai, sem mãe, sem avós, sem o amor familiar que dará, dizem os cientistas, até os 7 anos de idade, mais ou menos, a definição do seu caráter, a definição do que e de quem será este menino. Só que, a sociedade, esta hipócrita, prefere nem saber, nem se inteirar, simplesmente, é melhor, inclusive, deixar estes abrigos bem longe da nossa casa, não?

Golpes de estado dados com medo do “comunismo”

março 14, 2014

fiz esta listinha estes dias, mas, está aberta para atualizações:

Golpes e tomadas de poder no mundo, quase todos com a ajuda dos Estados Unidos (a maioria, ajuda direta!), e todos pelo mesmo motivo: “medo do comunismo”, igualzinho muitos ainda apregoam aqui no Brasil

hitler no poder1932 – Hitler e seus amiguinhos tomaram a Alemanha.

1954 – Golpe militar na Guatemala derruba o presidente eleito, com forte ajuda dos EUA.

1963 – Golpe militar em Honduras, apoiado pelas oligarquias e EUA, com medo do que aconteceu em Cuba.

O Golpe1964 – Golpe militar no Brasil, com forte apoio dos Estados Unidos, depondo o presidente eleito. A ditadura durou mais de vinte anos, e milhares de mortes e torturados pelo estado militar.

1965 – Invasão dos EUA à República Dominicana, apenas porque o presidente ELEITO tinha “inclinações à esquerda”!!! 22 anos se passariam diante de um governo opressivo.

golpe chile allende1973 – no Chile, o presidente eleito Salvador Alende é morte dentro do palácio após um ataque do exército, com forte apoio militar dos EUA

1980 – Aumento da violência durante as várias décadas de ditadura militar em El Salvador, com a política anti-comunista de Ronald Reagan. Foi colocado um embaixador na capital que era o cabeça dos organizações paramilitares do país.

1983 – Incrivelmente, após um golpe de socialistas em Granada, os Estados Unidos invadiu o país, com a desculpa de que estudantes estadunidenses estavam sob perigo, entre outras desculpas que foram comprovadas falsas, o que lembra também a invasão do Iraque, já nos anos 1990.

Anos 1980 – Na Nicarágua, a mesma coisa de El Salvador, onde o governo Reagan tentou de todos os modos possíveis ferrar com o governo do país (com financiamento também de grupos terroristas, os “contras”), que fazia fortes mudanças sociais e era apoiado pelos comunistas.

invasao estados unidos1989 – Invasão do Panamá pelos EUA, na tentativa de manter sua política de intervenção no país (e o próprio Canal do Panamá, domínio estadudidense desde sempre, o que terminou somente em 2000). Capturaram, depois de intensa guerra interna, o ex-presidente Noriega, que fora cria da própria inteligência estadunidense (história parecida de Osama bin Laden).

2002 – Tentativa de derrubar o presidente eleito Hugo Chavez na Venezuela. Militares detiveram ilegalmente o presidente durante várias horas.

NOSSO MANIFESTO CARNAVALESCO – TRILHA SONORA

fevereiro 28, 2014

Grêmio Recreativo Interativo Quinteto Malacagem Virtual apresenta o estandarte do sanatório geral

renoirA roda está aberta. Se não está, chama a Sara Jane, e abre a rodinha, por favor! Mas cuide, ao abri-la, Colombina ou Pierrot, pois pode haver um/a Arlequim/na numa esquina qualquer, e, sabemos também, o homem (ser humano ou não), com um revólver na mão, é bicho feroz, já sem ele, rebola e muda de voz, ainda mais em tempos obscuros de fascismos pelas internetes e ruas tentando trazer pelourinhos de volta.
Porém, acreditemos sim, cheguemos ao terreiro, quem sabe à meia-noite, quando o galo cantar, que todo o mal deve ir embora com o vento e com os tambores das baterias, e os zigotos masculinos se encontrarão com os gametas femininos (não necessariamente nesta ordem) dos deuses do Carnaval a partir desta sexxlaws, e a festa tende a ser animada, com as bandas do Zé Pretinho pelos Brasis, pois o samba deixa a gente mole, quando se canta, todo mundo bole, é a maldição do samba, sambou uma vez, nunca mais se para, e bom sujeito se torna!
Então, só nos resta preparar o puçá, entrar na bateria e do Papagaio ao Farol, da Atalaia à Brava, do São João ao São Viça, onde sambaram nossos ancestrais, reverenciemos nossos Negos Dicos, que a ofegante epidemia chamada Carnaval vai passar a partir de hoje!

Muriendo de Plena – Rubén Rada

Acredito sim – Noriel Vilela

Spyro Gyro – Jorge Ben Jor

Ela me faz – Rael

Roda de Samba – Chocolate da Bahia

O Jornaleiro – Tony Tornado

Samba da minha terra – Novos Baianos

Lick Samba – Gilberto Gil

Com qualquer dois mil réis – Novos Baianos

Carnaval toda la Vida – Playing for Change Argentina

A Maldição do Samba – Marcelo D2

Cheguei meu povo – Maracatu Nação Estrela Brilhante

Samba de uma Nota só – Tom, Vinicius, Toquinho e Miucha

Pierrot – Los Hermanos

Segura a Nega – Bebeto

Só o Ôme – Noriel Vilela

A roda – Sarajane

Madagascar Olodum – Banda Reflexus

2 neguinhos – Celso Bahia

A banda do Zé Pretinho – Jorge Ben

Ive Brussel – Jorge Ben com Caetano Veloso

Kiss – Prince

Sexx Laws – Beck

Bicho Feroz – Bezerra da Silva

Sidney Magal – Meu sangue ferve por você

I Will Survive – Gloria Gaynor

Blitzkrieg Bop – Ramones

Jesus Cristo vai voltar – Wander Wildner

Nós vamos invadir sua praia – Ultraje a Rigor

Miss You – Rolling Stones

O Alien que veio pro espaço – Zumbi do Mato

Papa Siri – Carlos Coria

Por: André Pinheiro, Felipe Damo, Sebastião do Aragão (Seba), Rômulo Mafra e Moacir Kienast

Pintura: o Baile no Moulin de la Galette, de Renoir
http://pt.m.wikipedia.org/wiki/O_baile_no_moulin_de_la_galette

Para montar e brincar no carnaval:

1: Baixe o aplicativo VDownloader no seu computador.
2: Copie o link das músicas, um por um, e cole no programa, no espaço determinado.
3: escolha baixar música ou vídeo, conforme sua preferência.
4:organize as músicas ou vídeos em uma pasta.
5: grave com o aplicativo de sua preferência (recomendamos o Nero) no CD.
6: salve a imagem em seu computador e imprima a capa do CD. Aproveite!

“Para não dizer que não falei das flores…”

dezembro 13, 2013

artigo da vereadora Anna Carolina (PRB), sobre suas propostas de emendas ao orçamento da cidade, e, também, sobre os 4,5 milhões de reais que serão gastos com as flores plantadas em algumas ruas da cidade (principalmente no Centro):

4 milhoes flores itajaiNão consigo parar de pensar que, infelizmente, vivemos numa terra maquiada. Rica, de economia pujante… Mas maquiada. A Câmara de Vereadores aprovou o orçamento do Município para o ano que vem: ultrapassa R$ 1 bilhão. Que maravilha! Como reclamar disto?

As críticas não são às cifras. São à forma como a administração municipal pretende aplicar os recursos. Propus emendas, todas rejeitadas pela bancada governista, que é maioria esmagadora no Legislativo de Itajaí. Queria que o prefeito destinasse mais verba à construção do Conservatório de Música, para prevenção de maus-tratos aos animais, para o sistema cicloviário, para apoio aos agricultores, para novas creches… Mas não deixaram que estas propostas fossem adiante. Disseram “não” a todas elas.

Preferiram manter o orçamento enviado pelo Poder Executivo que destina quase R$ 7 milhões para os gabinetes do prefeito e da vice-prefeita; que destina quase R$ 2 milhões para a revitalização do Parque do Agricultor e Festa do Colono… Querem “alimentar” o povo com o circo. Mas esqueceram de que o povo já acordou. Não queremos apenas festa para gringo ver, queremos mais vagas nas creches, queremos o fim das filas na Saúde, queremos respeito aos nossos itajaienses.

Preferiram manter o orçamento enviado pelo Poder Executivo que destina mais de R$ 7 milhões para a Secretaria de Comunicação, sendo R$ 6 milhões para pagar publicidade. Ao invés de se preocuparem em melhorar a qualidade de vida dos munícipes, se preocupam em mostrar uma qualidade de vida que não existe. Como? Pagando anúncios publicitários que mostram uma cidade daquelas para ilustrar calendário… Mas que quem vive nela sabe que não existe.

Preferiram manter o orçamento enviado pelo Poder Executivo que destina R$ 4,5 milhões para o programa Cidade Florida. O povo já tem tudo que precisa, pelo jeito. Então a administração municipal pode “queimar” o dinheiro que está sobrando para pagar por flores nos canteiros. Quanta maquiagem. Quanta hipocrisia! E seguimos caminhando – sem cantar, mas seguindo a canção.

“Ta na hora de mudar essa sociedade…”

dezembro 12, 2013

por Moacir Kienast:

August LandmesserPra começar quero esclarecer de uma vez por todas: não defendo impunidade, tampouco sou a lei para julgar. Mas não me rendo ao discurso fácil e não quero sangue para me satisfazer. O debate, comigo, é mais amplo.

Fui julgado, condenado e sentenciado pela ideologia que escolhi. Por acreditar na política. Por fazer política. Se sou culpado por fazer uma escolha saiba que pelo menos tenho uma. E que estou fazendo a minha parte. 
Em um momento que as instituições nacionais estão em xeque devido sua credibilidade, principalmente pela influência sofrida por seus comandantes não podemos ficar calados. Temos que tocar na ferida. Chegou a hora de amadurecer a sociedade e a democracia brasileira, chegou a hora de não termos mais medo, tampouco preconceito para lidar com situações de tal proporção.
Se você continua achando que ideologia não existe mais, você está enganado. A guerra ideológica continua aí, dia após dia, mais acirrada, maquiada em ações que podem confundir quem não observa nas entrelinhas dos acontecimentos, ou quem não conhece os bastidores.
As manifestações de junho poderiam ter sido aproveitadas em um período para discutir a sociedade. Para aumentar a participação popular. Porém, o que vemos hoje é a continuação de um sistema precário e viciado, o sistema político. Não houve uma reforma que pudesse mudar a cara do Brasil, tampouco sua maneira de ser gerido.
Sofremos e ralamos com as migalhas que a elite dominante insiste em manter sob seu controle, e a guerra ideológica que você insiste em dizer que não existe somente aumenta esse abismo.
Nossas instituições estão em cheque. Judiciário, legislativo, executivo. Sistema de comunicações, futebol, gestão de eventos, crescimento econômico, o país.
Enquanto o gigante acorda, ou adormece, percebemos que estamos em outro patamar frente a distribuição mundial de forças e organização econômica. Porém ainda nos negamos a discutir o que os países dito “desenvolvidos” já discutiram, pois permanecemos presos a velhos preconceitos e costumes que ultrapassa gerações desde o Brasil colonial.
E se você acha que não interfere com suas atitudes, pense no que tem feito para o próximo? Qual a semente que você está deixando para nós, sociedade? Será que pregamos ainda a semente do racismo, do preconceito velado? Nós acreditamos ainda em um meio de comunicação que por mais de cinquenta anos serviu a ditadores e ao dominador estrangeiro que explora nosso povo, influenciando gerações que poderiam aumentar seu caráter perceptivo através do conhecimento, porém só sabe ter discernimento naquilo que lhes é entregue no jornal das oito? Ou nos “bons” costumes e “moral” das novelas? Em que patamar estaríamos se houvesse uma sociedade com maior conteúdo intelectual, que discutisse com voz ativa?
A internet abriu os horizontes do brasileiro. Deu acesso a informações nunca antes imagináveis, trazendo a oportunidade de evoluirmos como sociedade de uma maneira mais ampla e democrática. Porém o que vejo é um festival de rótulos, acusações e discussões sem fim do mesmo teor.
Lembre-se. Para todo político corrupto há um empresário corruptor, há um cidadão que tira proveito da situação e uma sociedade que sofre pelo complexo de narciso.
E pra falar em mensalão, nunca antes se viu político preso no Brasil. Ou preso político. Os episódios dos últimos dias colocam em cheque uma discussão que está tentando entrar em pauta a mais de uma década, a reforma do judiciário. Sempre ouvimos que a lei só serve para quem tem dinheiro. Vemos falhas em processos e influências diretas de corruptores em sentenças em todo o país, e parece que o assunto não quer ser debatido. Todos esses erros levantam a credibilidade do processo. E repito, não estou aqui para defender quem tem culpa, tampouco para acusar. Estou aqui para levantar um questionamento mais amplo para a sociedade.
Iniciamos um processo sem volta de caça aos corruptos, corruptores e aos males da sociedade. Por uma instituição que está em cheque. E ela só vai provar sua plenitude se seguir a risca o peso de seu martelo, acertando em todos os lados, sem distinção de partido ou preferência ideológica. Temos que ter pulso firme contra a corrupção, em todas as esferas. Sempre.
Esperem de mim algo mais. Esperem de mim não ter medo de discutir qualquer tema, mesmo achando que a minha opinião pouco importa. Agora não me peça para entrar no senso comum e seguir a cartilha do que a maioria dita, pois político que age conforme o vento tem um monte por aí. Se parti para esse caminho, sabia que não ia ser fácil, tampouco me propus a ser mais um. Portanto, rótulos não devem ser colocados para aqueles que não desejam ser rotulados. Um pouco mais fora da curva, se assim for necessário enquadrar.
Defendo a democracia e as leis. E uma discussão mais ampla e mais profunda sobre nosso país e nossa cidade.
Ta na hora de mudar essa sociedade….
*Artigo publicado no Jornal Sem Censura
Foto: Um grande momento eternizado por um fotógrafo,  uma foto que tirou uma pessoa do anonimato, lhe deu um nome e o mundo conheceu sua história. Trata-se de  August Landmesser (1910 – 1944), um trabalhador do estaleiro Blohm + Voss em Hamburgo. Ele aparece na fotografia desprezando a saudação nazista no lançamento de um navio de treinamento militar em 13 de Junho de 1936. Um ato de muita coragem !  Ele pertenceu ao Partido Nazista de 1931 a 1935, mas após se casar com uma judia e se tornar pai, foi condenado por ter “desonrado a raça” segundo as leis nazistas e tornou-se opositor do regime de Hitler. Em Fevereiro de 1944 foi preso e pouco depois declarado “desaparecido” … Fonte: Jornal GGN

Black Bloc, manifestações violentas, Capitalismo e afins

outubro 28, 2013

kroptkin black blocjá escrevi algumas vezes minha opinião no Facebook sobre os Black Blocs, manifestações violentas e afins. acho que já dá pra trazer pra cá um pouco do que escrevi lá. e começo com o que escrevi hoje, sobre o rolo lá em São Paulo, durante uma manifestação que, novamente, acabou de um forma que já tá virando previsível:

São Paulo em chamas… caminhões e ônibus queimados (já passam de oito, parece), carros e caminhões assaltados, lojas saqueadas, na manifestação contra a morte de um garoto de 17 anos pela PM (segundo versão do policial, por engano).
e agora pouco, há 3 minutos atrás, a Record mostrava uma cena ao vivo da captura de algumas pessoas, só que quando chegam, a polícia, em vez de prender, começa a espancar o rapaz… quando o espancamento começou a ficar mais sério, infelizmente, cortaram a imagem.

tristes (todas) imagens desta segunda-feira. A coisa está ficando muito, muito séria. e o problema está em todos os lados.

o problema, agora, é que estas ações provocadas agora à noite, são “embasadas” até politicamente pelas pessoas que acham que esse é o caminho pra se mudar alguma coisa. Enquanto isso, centenas e centenas de pessoas se sentiram acuadas pelos criminosos que tentaram ou roubaram carros, caminhões, ônibus, empresas (a PM teve de cercar uma parada de caminhões, das maiores da região, pois queriam invadir pra saquear).

claro que temos de contextualizar TUDO isso, e aí, sinceramente, este povo todo não estaria errado, pois estaria, em tese, lutando contra a exploração diária com que vivem diante de um capitalismo cada vez mais selvagem e que mata diariamente, de várias formas, seja pela fome, seja pela exclusão social, pela violência do estado contra negros e/ou pobres, pelos preconceitos a que são submetidos, e este é o único jeito que conseguem expressar seu estado de exclusão do Capitalismo.

sei que vão me criticar por esta contextualização — o que não quer dizer que ache que é melhor modo pra se lutar contra o Capitalismo (neste momento não acho) –, mas ela é real, acreditemos ou não nela.

Onde está o grande problema do nosso tempo?
além do Capitalismo, que gera todos estes problemas, descontando ele, é claro, o problema é a FAMÍLIA, o núcleo familiar, que abandona seus filhos na busca insana pelo TRABALHO/DINHEIRO (ou seja, o problema é o Capitalismo que faz estas famílias abandonarem tudo em nome do $uce$$o). este sim é o pior dos problemas! e que, infelizmente, continuará ignorado pela maioria, que prefere achar outros tipos de culpados.

enfim, sobre estes tipos de manifestações, inclusive as de cunho político (e esta de hoje não foi, foi simplesmente rebeldia popular — que acaba virando criminosa, de acordo com a lei), só servem pra se aumentar a repressão policial.

e como diz Kropotkin, em sua crítica ao famoso anarquista Bakunin, “nenhuma revolução social pode triunfar se não for precedida de uma revolução nas mentes e nos corações do povo”, e acho que nem se precisa explicar muito esta frase, né?

claro que estas manifestações violentas, que violenta INCLUSIVE O TRABALHADOR (como uma amiga do Rio que falou dos pontos de ônibus depredados e que colocaram os trabalhadores que precisavam dele todos na chuva nesta segunda), TALVEZ, daqui algum tempo, tenham servido para alguma coisa, mas, no calor do momento (e no calor do momento sempre podemos estar equivocados), só vejo esta violência servindo para a maior repressão (e as pesquisas já apontam que a maioria esmagadora da população está contra as manifestações violentas) e esvaziamento das manifestações populares.

é o que analiso neste momento. e isso pode mudar futuramente.