“A Nebulosa de Andrômeda”, uma Ficção Científica peculiar

dezembro 2, 2016

asimov-primatas-a-astronautahoje terminei o livro “A Nebulosa de Andrômeda“, do soviético Ivan Efremov. O livro é interessante, apesar de ser escrito no fim dos anos 1950, descreve um futuro MUITO DIFERENTE dos seus contemporâneos, e por isso trouxe esse trecho de outro livro que estou lendo (“De Primatas a Astronautas” de Leonard Mlodinow) e que coincidentemente falava sobre um dos motivos que me levou a ler este livro do Efremov, e algo que me incomoda na maior parte da ficção científica escrita nesta época (o que abarca a maioria dos grandes clássicos do gênero), que é este pensamento de certo modo, pequeno, estas mudanças que deveriam ocorrer em sociedades tão avançadas, mas que não conseguiram, em suas literaturas, avançar em certos pontos. porém, algo que sempre me incomodava e que errei feio, em alguns livros os autores descreviam homens ainda usando bigodes grossos, o que era algo que acreditava que nunca mais voltaria à moda ahahahahahah — sério, gente, vocês que estão usando, daqui dez anos, rirão meio envergonhados de terem feito isso ehehehehe

andromeda-efrimov-comunismo

Um dos trechos do livro onde demonstram uma sociedade totalmente diferente do que geralmente vemos na Ficção Científica

mas, voltando à obra de Efremov, um dos pontos mais interessantes deste livro (que não recomendo muito, pois é uma leitura bem difícil, uma história que poderia se resolver na metade das páginas que foi escrita e se arrasta com um final que simplesmente não empolga, ou, deixa para uma continuação que não sei se existe), é este futuro que ele descreve, também bem diferente dos impérios humanos (ou extraterrestres) da maioria dos escritores de FC, um futuro onde o Capitalismo foi abolido e a humanidade vive um período de paz e crescimento sem par em sua História. só por este ponto, valeu a pena ler esta obra, e que queria exatamente para um projeto que estou escrevendo (que ainda não sei se será um conto, novela ou romance), um ponto de vista onde os homens não conhecem mais fronteiras, onde não há imperadores, reis, presidentes, e todos podem participar das decisões importantes para a humanidade, ou seja, um mundo comunista (apesar de nem usarem mais este termo — o termo usado é Era do Grande Circuito, que é o modo de comunicação usado entre todos os planetas habitados por raças inteligentes na Via Láctea).

homens e mulheres com direitos iguais, organização planificada, novos meios de transporte e de propulsão, automatização de centrais energéticas, o fim do “trabalho por uma vida inteira”, mudanças drásticas inclusive na forma de educar as crianças e jovens e por aí vai.

porém, é claro, Efremov também não escapa dos erros cometidos mais por desconhecimento que outra coisa. um dos mais absurdos indicados no livro é o “derretimento das calotas polares”, mas que dá pra compreender pois na época ninguém sabia muito sobre isso, porém, fica claro que não daria certo, tanto que ele indica que o nível dos mares subiria sete metros por conta desta ação (no livro, isto é feito pra controlar de vez o clima na Terra), ou seja, não levou em conta que iria ferrar com todo o mundo, todas as grandes cidades que viviam nos litorais. porém, estes pequenos “erros” valem a pena por esta sociedade tão diferente do que vemos comumente na FC, mesmo sendo um livro que acaba ficando pesado e enrolado, mas, lembrando, é um livro publicado em 1957!!

Cadê a cultura nos nossos jornais?

outubro 28, 2016

cultura-desenhoNOVE MINUTOS! Esse foi o tempo que um jornal televisivo do meio-dia destinou ao esporte. “Oras, Rômulo, o que tens contra o esporte?” Nada. Nada mesmo! Gosto muito de esporte! Assisto a várias modalidades, inclusive, as que não são predominante na televisão aberta brasileira, como beisebol, futebol americano, tênis, mas também gosto de futebol, vôlei etc. Porém, o que quero dizer é QUANTOS MINUTOS O JORNAL DEDICOU À CULTURA durante uma semana inteira? Sim, porque podemos comparar esporte e cultura, não? São dois temas caros à sociedade, que precisam de apoios públicos e privados, correto? Porém, sabemos, o tema cultura é deixado geralmente do lado pelo nosso jornalismo, enquanto o esporte é tratado como soberano (neste jornalístico em especial acho que só perde pra publicidade DENTRO do próprio jornal). Neste que assisti nesta semana, em CINCO DIAS, apenas UMA matéria foi ao ar com tema cultural — de uma menina aqui de Itajaí que passou no balé Bolshoi. UMA. Durante a semana inteira. Já o esporte, ah, este tem além das páginas e páginas garantidas nos impressos diariamente, sobram estes minutinhos garantidos todos os dias nos televisivos. Já a cultura, ah, quem se importa com cultura, né Rômulo? O jornalismo é que não.

Ah, e nem vou contar a matéria de hoje falando sobre a falta de repasses do governo municipal às entidades culturais de Itajaí, pois isso é matéria de política, e não de cultura. E vocês, que mandam no jornalismo local, já pensaram que talvez vocês também tenham culpa pela falta (ou invisibilidade das mesmas) de atividades culturais na cidade? Muitos fazem, lutam, tentam, mas, sem apoio das mídias de massa, fica difícil manter estas atividades.

Não haverá catástrofe por causa dessa PEC 241

outubro 11, 2016

Como alguns estão supondo, não haverá catástrofe alguma por causa dessa PEC!!! O noticiário já decidiu. A mídia e seus anunciantes já decidiram: “A PEC é boa pro país.” E assim será tratada daqui em diante. Portanto, TUDO o que acontecer de ruim, será somente enfiado na conta do PT, acho que pelos próximos dois anos, pelo menos, e caso se reeleja a trupe golpista no governo federal, pelos próximos SEIS ANOS.
As grandes empresas que financiam a mídia estão do lado delas próprias.
O trabalhador sofrendo, é melhor pra elas.
Podem controlar melhor os salários que vinham subindo (sim, com a Crise eles começaram a definhar novamente).
14690868_664618630383884_7151351714859165490_nPodem controlar a massa de desempregados, que é um fator dominante para uma grande empresa crescer ( quer dizer, dar lucro para os sócios).
O resto, a mídia (escrava dos seus anunciantes) tratará como algum mal causado por outra coisa, não pelo CONGELAMENTO pelos próximos 20 anos (HUAHUHUHAUHUAUUHAU — sim, eu ainda tenho vontade de gargalhar ao digitar algo tão grotesco e aceito passivamente por um povo em pleno 2016) — dos gastos em Educação e Saúde, sem falar em outras áreas que serão afetadas.

pec-241Não teremos catástrofe nenhuma, amigos. E logo que prenderem o Lula (por que não prenderam ainda? o cara não é o chefe da super-quadrilha, ganhou milhões e milhões em propinas etc. etc.?), o que deve acontecer quando talvez surgir algum problema ou esse da PEC fique muito escandaloso, todos irão ter orgasmos e vão se lembrar novamente que foi tudo culpa do PT e dane-se o que estão nos enfiando sem vaselina. O importante é zoar e falar mal do PT pra parecer inteligente e politizado

Dois anos e cinco meses e finalmente instalam o ponto de ônibus destruído!

outubro 5, 2016

ponto-reinaldoe não foi por falta de pedidos! inclusive, começou aqui neste blogue. depois, se não me engano, até o Diarinho falou sobre o ponto de ônibus da Reinaldo Schmithausen que foi destruído num acidente quando um caminhão perdeu o controle e atingiu a estrutura.

agora, dia 5 de outubro de 2016, finalmente, o ponto de ônibus foi recolocado pela Coletivo Itajaí, que é quem tem de fazer a troca. porém, com o descaso típico da empresa, e a falta de um Conselho de Transporte Público forte que cobre, além da prefeitura que parece não se esforçar muito, os moradores da região ficaram este tempo todo sem a estrutura mínima.

Valeu pela luta!!!

outubro 5, 2016

img-20160917-wa0004Não tenho como deixar de agradecer os 160 VOTOS recebidos, diante de uma eleição tão forte como esta, tão dividida, onde os dois primeiros tiveram pouco mais que 700 votos de diferença, onde tivemos uma eleição com muito mais candidatos a vereador, ONDE A FORÇA DO DINHEIRO CONTINUOU mostrando que vale muito mais do que outra coisa! A todos estes eleitores, meus agradecimentos! A todos que votaram em candidatos que, como dizemos, “correram por fora”, também, pois vocês fizeram valer seu voto ainda mais!

Não, não culpo o povo. Infelizmente eu não tinha os meios pra fazer chegar a minha voz até tanta gente. Um candidato precisa de apoios. E apoiadores fortes.

Claro que tive meus apoiadores, amigos que tentaram, fizeram de tudo dentro de suas possibilidades. E a eles agradeço ainda mais, pois sei como é difícil tentar transferir votos pra outra pessoa. E esta dedicação de tão poucos que tentaram me ajudar efetivamente, me levando a algumas reuniões, valeu muito! Estas reuniões foram ÓTIMAS, este contato, sim, isto é que vale a pena numa campanha!! E precisava de muitas dessas reuniões, mas somente com mais apoiadores que estivessem dispostos a se entregar numa campanha.

(na foto, alguns desses que me apoiaram, e ainda faltam outros, que pediram voto, tentaram, correram atrás também, mas, agora, é começar a procurar mais apoiadores pra daqui quatro anos a luta recomeçar!)

OBRIGADO E A LUTA CONTINUA!!!

Conselho Consultivo Popular!

setembro 23, 2016

Ajude a divulgar o nosso projeto de levar a toda a cidade o Conselho Consultivo Popular, onde o mandato irá uma vez por semana a um bairro/comunidade de Itajaí buscar saber quais as demandas que a população daquele local quer que seja levado à Câmara de Vereadores! Conheça o projeto, curta e compartilhe este vídeo com seus amigos, pois assim chegaremos lá! Em 2 de outubro, vote Rômulo Mafra 13777!!

Meu programa eleitoral gratuito na TV

setembro 8, 2016

Minhas propostas!

setembro 3, 2016

(texto retirado da minha fanpage)

Há alguns dias que amigos, simpatizantes e eleitores têm me perguntado sobre minhas propostas pra vereador de Itajaí. E, claro, tenho pensado nelas durante estes dias bem como desde a outra campanha, em 2012. E elas são o que sou hoje. O ser político que sou hoje. E prefiro que me perguntem NO QUE EU ACREDITO em vez de quais são as minhas propostas para vereador. Aí eu poderei responder muito mais facilmente, pois é no que eu acredito que se tornará a minha legislatura 2017-2020!
E no que eu acredito?, já que estas são as lutas que farão a minha história nestes quatro anos em que estarei na Câmara de Vereadores de Itajaí — mesmo que algumas delas não sejam ou não aparentem ser da competência de um vereador, e, aliás, prometer, não faz parte da competência de um vereador! Aí estão algumas delas:

PROPOSTASESCOLA PÚBLICA DE QUALIDADE! Essa é até covardia falar, pois duvido que alguém seja contra isso. Mas, por que é tão difícil? Ah, e um aviso, antes mesmo de o novo governo golpista assumir, já conseguiu tirar a OBRIGATORIEDADE da cota mínima pra Educação! Bom, né? Só que não.

ACESSO UNIVERSAL À SAÚDE! E, claro, também de qualidade! Não dá mais pra aceitar que pessoas que não tenham dinheiro (ou tanto dinheiro) estejam ainda morrendo ou quase por não ter acesso a certas operações complicadas ou não consigam tratar suas doenças! Porém, muitos ainda batem na tecla das privatizações e querem acabar com o SUS.

TRANSPORTE PÚBLICO GRATUITO! Sim, outro perrengue! Como lutar com grandes empresas, cartéis, que dominam e nos fazem acreditar que é bom sim termos empresas cuidando do nosso transporte quando uma cidade rica como Itajaí já poderia estar gerenciando seu próprio transporte público gratuito — ou, no mínimo, com uma tarifa muito mais baixa? Como? Com o povo acordando para esta realidade! É possível! Mas não sem luta! Não sem conscientização. Isso sem contar as melhorias nas linhas do transporte público, além da mobilidade urbana que afeta a todos!

CULTURA! Outro tema do qual tenho vivência longa, já que participo há quase 30 anos da cena cultura de Itajaí, como integrante do coro Carpe Diem e dentro do IMCARTI – Instituto de Música, Canto e Arte de Itajaí. Precisamos de mais apoio à cultura, a quem faz cultura, a quem quer ter acesso! E a população precisa ter acesso inclusive nos bairros! O tripé básico saúde/cultura/educação não está aí por acaso. Bastam os governantes pensarem e agirem em torno deles que todo o entorno irá melhorar, inclusive a SEGURANÇA, tema tão caro à população. Porém, aí entra outro tema…

DESIGUALDADE SOCIAL! Que gera violência. E tentamos resolver os problemas de segurança pública criticando efetivos policiais. Sim, precisamos mesmo de um maior efetivo policial em Itajaí. Mas não é efetivo policial que resolverá os problemas de segurança pública. A política repressiva contra as drogas não vai diminuir, como até hoje não diminuiu, o número de usuários de drogas! Não, isso só diminui com investimentos em educação, cultura, saúde e diminuição das desigualdades sociais através de projetos de auxílio de rendas e inclusão social. Porém, veremos muitos vereadores prometendo mundos e fundos nesta campanha. Inclusive, que vão diminuir a violência apoiando a criação de guarda armada etc. etc. Só que não. Não é isso que irá diminuir a violência.

Sou Rômulo Mafra, nascido e criado em Itajaí, funcionário público municipal desde 2007. Casado, pai de dois filhos; como vereador vou agir cobrando, fiscalizando e criando leis que ajudem aproximar o povo do poder público, pois este é o verdadeiro objetivo de um vereador.

Em 2 de outubro, vote Rômulo Mafra 13777!

Sobre a carga tributária do Brasil e os clássicos mimimis

agosto 19, 2016

texto retirado do Facebook (link tá no nome do autor no fim do texto):

A carga tributária do Brasil é de 34,4%.

O que isso quer dizer?
Nada.
A do Chade é 4,2%, de Angola 5,7% e Bangladesh 8,5%.
A do Reino Unido é 39%, da Áustria 43,4% e da Suécia 47,9%.

Alguém pode vir com alguns poucos exemplos de países que pagam menos do que nós e estão melhor, mas isso também não quer dizer NADA.

O problema real tem muito mais a ver com a forma como é cobrado. Como já escrevi em vários textos, o Brasil cobra
– muito no consumo e
– pouco na renda.

Isso na média. Porque mesmo na renda se cobra
– pouco de quem está em cima
– muito de quem está embaixo.

Resultado:
– A galera de baixo é a que mais sente
– A galera do meio é a que mais paga,
– A galera de cima não sente e (quase) não paga.

Como assim?
Se você ganha até R$ 1900, como 66% dos brasileiros, não paga imposto de renda. Mas todo o seu dinheiro vai para a subsistência, que é taxada. Absurdamente taxada.
Sobra nada.
E ainda usa um serviço público ruim.

Se você ganha entre R$ 2000 e R$ 6800, como 25% dos brasileiros, pode pagar até 27,5%. E também gasta muito para sobreviver, então paga alto.
Sobra pouco.
E não quer usar o serviço público ruim, então sobra menos ainda.

Bom mesmo é quem ganha muito.
Mas muito, aquele 1% de cima, sabe?
Esse reclama porque a empresa dele é taxada, mas embute isso no preço dos produtos – aquele imposto que mata o resto dos brasileiros – enquanto tem sua renda isenta. Chamam de lucros e dividendos.
Sabe quantos países isentam lucros e dividendos?
Dois.
Brasil e Estônia.
Quando muito, essa galera de cima paga aquela média de 3% sobre o patrimônio, enquanto a média mundial está entre 8% e 12%.
E aí ficamos discutindo se a CPMF é boa ou ruim.
E por quê?
Porque a galera do meio compra facinho o discurso de que a carga tributária é alta.
Só que a Suécia tem 7 vezes mais dinheiro por habitante para gastar no serviço público.
Mas a galera de cima não usa serviço público.
Ela quer mesmo é pagar ainda menos imposto.
Então, vende esse discurso para a galera do meio, que passa a querer
– imposto baixo angolano e
– serviço público sueco.
É isso.
Reflita.

Rogério Godinho

Bons exemplos a mídia não quer mostrar, né?

julho 29, 2016

E acabamos o terceiro dia de ensaios, já passamos por DOIS DIAS DE APRESENTAÇÕES do Congresso dos MENINOS CANTORES em Itajaí, e até agora, NÃO VI UMA CÂMERA DE TV indo cobrir o evento… Nada! Zero! Já participei de muitos, muitos congressos mesmo, em todas as cidades que possuem coros federados, e praticamente em todas vi cobertura dos canais de televisão.
Entrei em contato com as três maiores da cidade, RBS, TVBE e Ric Record. Nem todas retornaram, mas enviei release para todas elas. Sem contar a imprensa escrita, ao qual só saiu uma matéria no Sem Censura, que eu mesmo escrevi.
Se formos esperar pela grande imprensa local, pelo jeito, a CULTURA está lascada. Depois, dá-lhe midiotas reclamando nos seus jornalísticos, dá-lha matérias e matérias sobre crimes, minutos e minutos sobre maletas premiadas e propagandas em espaços que deveriam tratar de assuntos relevantes ao público.
Aí nos perguntamos por que há tão pouco público pra eventos culturais. Uma das respostas está aí: o descaso quase que total para eventos culturais que não tenham investimentos FINANCEIROS em mídia. A mesma mídia que reclama da corrupção, age de forma corrupta também, não se engane. Se nós pagássemos bons (e caros) anúncios nas TVs teríamos cobertura completa!
Teríamos páginas nos jornais impressos, com boas fotos e matérias instigando a população a conhecer o evento.
Mas, como não rola grana, não rola divulgação. Isso não acontece somente conosco. Acontece em muitos outros eventos culturais. Acontece até com o esporte, ainda que esporte tenha muito mais divulgação em todos os meios de comunicação (eles têm até parte fixas diariamente nos televisivos, assim como páginas especiais também diárias nos impressos)!

(e como não estou podendo acompanhar todos os jornais etc., se cometi algum engano, se saíram matérias sobre o congresso nos impressos, se estiveram filmando e não vi, fizeram entrevistas com as crianças participantes, mostraram as apresentações e afins, corrigirei com o maior prazer!)

texto da semana passada que tinha publicado somente no Facebook, mas trago pra cá