O ódio e a burrice

julho 31, 2017

esta semana publiquei um comentário numa página do Facebook, chamada “Legado da Copa”, sobre os comentários retardados dos “cartoleiros”, que ficaram puteados pelo jogo do Fluminense e Ponte Preta ter sido adiado pela morte trágica do filho do técnico do Fluminense, Abel. quem quiser ler na íntegra a publicação e os comentários, clique aqui. abaixo do que comentei lá, sepodio.jpgarei alguns comentários de puro ódio e idiotice que passaram por lá. teve até um que me chamou de retardado dizendo que “soviéticos teriam desembarcado na praia no Dia D sem armamento” ou algo parecido. quando o questionei que não havia soviéticos no desembarque da Normandia, o “historiador de Facebook” desapareceu do debate.
só pra constar, foram 296 curtidas no meu comentário contra 46 que aparentemente não gostaram — e estes que comentaram destilando ódio e burrice.

mais um de tantos reflexos do Capitalismo, que transforma TUDO, tudo mesmo em mercadoria, e aí “dá o direito” a esses seres humanos reclamarem de seu produto, FODA-SE se morreu alguém, se tem um corpo ensanguentado ao lado, ou no seu caminho, FODA-SE, o que importa é o PRODUTO que eles estão consumindo e pagaram por ele. 
isso é ideologia. isso é o que os merdinhas desta bosta de “escola sem partido” nunca perceberam que existe desde sempre e que agora, só querem abafar um pouco uma pretensa existência de uma ideologização de esquerda nas escolas, o que é mais mito que outra coisa.
lendo estas coisas, não sei se sinto pena destes idiotas ou se eles merecem toda a merda que terão durante a vida estúpida deles. – Rômulo Mafra

os comentários:

vai politicar pra lá

Eu ia ate ler seu comentario, mas ae eu vi o fora temer, e percebi q nao vale a pena levar vc a serio

“Não porque os cara quer o dinheiro do cartola e são desumanos, então nois tem que ensinar esquerdismo nas escola”

O cara tá falando de capitalismo KKKKK os líderes comunistas nem consideraram a plebe gente, usam e e jogam fora como querem, cala a boca.
Ow, sabe por que os russos foram diantes das armas alemãs na segunda guerra? Muitos desarmados? Basicamente mandados para a morte? Por que eles sabiam que era melhor morrer para Hitler do que voltar e encarar o Stalin.

Comunismo/socialismo é uma utopia, o homem já nasceu pra conquistar e disputar…

Vai esquerdar pra lá.

Facil simplesmente partir para a chacota, mas encarar os fatos não, daí é demais para esse tipo de covarde [o mesmo que falou dos soviéticos ali em cima]

“isso é ideologia ” o cara fala mal de ideologia, mas pelo visto segue uma e ainda por cima apoia o governo tirano da Venezuela. Moral 0.

Não meu seu acéfalo, tô falando do dia D, quando a união soviética mandou 1 de 3 soltados armados, os outros iam com munições ou sem nada, caramba, que atitude mais humana ein, mandar pessoas para morte [o dos soviéticos ainda]

Se o capitalismo é tão ruim, vai pra Venezuela, Coreia do Norte, Cuba e etc. lugar não falta pra por esquerdinha

Pesquisa aí, retardado, isso é um fato histórico. E quando os sovietes atracavam na praia e mandavam os soltados seguirem, ficavam com metralhadoras apontadas para a frente esperando os que voltavam. [e ele insiste na historinha]

[minha resposta sobre os soviéticos] “Dia D”? Estás se referindo à invasão da Normandia? Pela Inglaterra, enquanto a URSS atacava pelo flanco leste?
mas… por que estamos falando em Guerra Mundial? estás querendo me refutar dizendo que não existe o fetichismo do consumo e que esse fato (o post) não é derivado de que tudo é transformado em CONSUMO, deixando a sensibilidade humana em segundo plano?
só pra entender… pq não estás chegando nem perto de refutar o que eu disse no começo, só estás jogando espantalhos no debate pra fugir do ponto principal.

Cara VC é bem retardado pra falar isso aqui nessa pagina. O legadão cade o ban do palhação

Que cara ignorante. É difícil falar mal do Capitalismo usando uma ferramenta criada por ele. Você é um imbecil, um hipócrita. Que falar de ideologia? Então permita-se sair dessa sua bolha ideológica, pois está se tornando uma criatura que não consegue dialogar sem ser rude com as pessoas. Pessoas como você me dão nojo. Vai lá pra Venezuela defender o Maduro, vai.

Comunismo e um lixo e antes de falar merda a quanto tempo você não frequenta uma escola ou universidade se você frequentasse saberia dá doutrinação que existe

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk isso aqui não é o Catraca Livre, não. Tomar no cu.

Caralho, por isso que eu odeio política, nego envolve esses negócios chatos até no cú se puser.

Parei na parte do “Capitalismo” kkkkkkkkk tudo esses socialistas ou comunistas veem como problema a compra e o dinheiro! Chega a ser comico!

Vai tomar no cu esquerdista fdp para de forçar sua ideologia de merda querendo levar isso pro lado q vc ACHA q sabe falar e acha q tem solução, tnc porra

e isso foi uma amostra do que está por lá. bem, e o número de curtidas e os comentários foram o que selecionei às 13h30 de 31 de julho de 2017. vamos ver até onde vai o chorume da galerinha facebuquiana.

 

O Mercado é contra o trabalhador!

junho 20, 2017

É tão difícil assim para as pessoas fazer esta sinapse? Hoje, 20/06/2017, a Comissão de Assuntos Sociais do Senado FOI CONTRA a Reforma Trabalhista, aquela do PMDB/PSDB/DEM que vai ferrar com nós, trabalhadores. Então, em seguida, O MERCADO REAGE MUITO MAL. Até o dólar caiu. Ou seja, tá aí, o MERCADO É CONTRA O TRABALHADOR. É contra o povo! E o Mercado é a maior expressão do que? Do sistema ao qual nascemos, trabalhamos e provavelmente morremos, o sistema CAPITALISTA.

Resumindo, o óbvio ulululante é: o CAPITALISMO É CONTRA O TRABALHADOR. Precisa de mais provas? Temos elas aos montes. Porém, infelizmente, nem todos farão estas ligações tão básicas, aparentemente, mesmo porque, o braço asqueroso do MERCADO é a própria mídia (financiada/controlada pelos próprios donos do Mercado, os grandes empresários), o outro câncer deste sistema assassino.

Então, amigos, a frase “trabalhadores do mundo, uni-vos”, continua tão atual quanto há mais de cem anos. E, infelizmente, vai continuar, pois, é muito difícil fazer isso chegar a todos os trabalhadores. Porém, desistir, nunca. A luta continua, SEMPRE, mesmo contra todos os prognósticos a curto prazo, pois nossa luta é a longo prazo.

Sobre o caso da agressão do secretário no sábado

junho 12, 2017

Em oito anos do governo passado participei de TRÊS GREVES. Nunca encostaram um dedo em mim. E em nenhum dos outros participantes das greves.

Hoje, na primeira manifestação pública dos servidores durante a abertura da ponte Tancredo Neves FUI AGREDIDO por um secretario do governo Volnei!! Com um tapa na minha mão, acabou quebrando o megafone do Sindicato dos Servidores de Itajaí!

Estávamos no nosso direito de nos manifestarmos! Se o secretario nao gosta de democracia, do contraditório, NÃO DEVERIA ESTAR NUM CARGO PÚBLICO pois demonstrou falta de preparo para o mesmo com sua atitude vergonhosa!

As providências legais serão tomada. Da minha parte e do nosso sindicato. Nao é com agressões que se dialoga com quem está no seu direito!

Abaixo, o que escrevi hoje no Facebook sobre o ocorrido:

1º aí está o Boletim de Ocorrência sobre a agressão que sofri no sábado

2º Nem sabia que era o dito secretário que estava próximo de mim

3º Não cheguei perto dele (muito menos “sorrateiramente” como indicou uma fonte ao colunista do Diarinho JC). Não coloquei megafone no ouvido de ninguém! Estava naquele lugar há pelo menos 15 minutos, qdo segurava uma faixa, e, depois, peguei o megafone, e, no momento em que TESTAVA, APONTADO PRA CIMA, o secretário virou pra trás, gritando “tira essa porra do meu ouvido”, ao que respondi “não está no teu ouvido”, e nem cheguei a terminar a frase, quando recebi o tapa na minha mão, pegando a parte de trás do megafone, quebrando ele. Neste momento, fomos separados pelas pessoas que estavam próximas

4º Sobre o padre, NÃO TÍNHAMOS VISÃO de quem estava falando; quando soubemos que era um padre, os servidores pararam de apitar (a distância era até considerável até onde fazia o ato), tanto que quando chegou o pastor, em seguida, já estávamos em silêncio. NÃO PROCEDE de jeito algum esta história do padre. inclusive, de terem chamado ele de “puxa saco” ou coisa parecida. nem víamos o padre de onde estávamos

5º Alguém tinha alguma dúvida que a Ric Record iria OMITIR a vergonheira acontecida no sábado? Motivos? Bem, os telespectadores deveriam perguntar o porquê de proteger o governo (ou será que é só para omitir algo que tenha acontecido COMIGO?)

6º Por eu ser presidente do PT, oras, estava no lugar onde eu deveria estar ENQUANTO SERVIDOR PÚBLICO. Não estava representando o partido ao qual estou presidente, e, o fato de ocupar este cargo, quer dizer que deveria me afastar das bases, da população?
Não é isso exatamente que criticam dos partidos?
Penso que estava onde tinha o total direito, enquanto servidor, sindicalizado e atuante, de estar onde estava e participar de uma manifestação chamada pelo sindicato ao qual sou filiado.

BO-ERICO

Sobre a Lista do Fachin: Querem te enganar novamente!

abril 13, 2017

como votei (e pedi voto) nos dois deputados (federal e estadual) que estão sendo citados pela tal “lista do Fachin” que começará a investigar os muitos nomes que apareceram lá, resolvi publicar aqui o ótimo artigo do historiador Eder Martins, que coloca os devidos pingos nos is sobre o envolvimento de Décio Lima e Ana Paula Lima, ambos do PT de Santa Catarina. abaixo, o artigo:

A quem serve a denúncia contra os deputados do PT, ou, Sobre como dissolver o conteúdo na forma.

Conteúdo e forma são duas dimensões da realidade intimamente associadas e mutuamente implicadas. A forma é uma maneira de expressar determinado conteúdo, sendo assim conteúdos diversos, se coerentes com suas formas, são, geralmente, expressos de maneiras diferentes. Se formas idênticas corresponderem a conteúdos diversos, o que por vezes acontece, corremos sempre o risco de uma confusão interpretativa que dificulta a percepção do verdadeiro conteúdo das coisas e dos fatos.

A, recentemente divulgada, lista do Fachin é um caso exemplar de como conteúdos diversos podem ser confundidos sob uma mesma forma. Cinco políticos de Blumenau são implicados e a todos é imputada a mancha generalizadora da corrupção. O que não se diz, se diz aos sussurros ou nas linhas pequenas, é que tratamos de casos consideravelmente diferentes.
Dalírio Beber e Napoleão Bernardes são acusados de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro e Décio e Ana Paula de falsidade ideológica eleitoral (NÃO DE CORRUPÇÃO).

Contra Napoleão e Dalírio pesam acusações de prejuízo aos cofres públicos como pagamento por favores recebidos da Odebrecht durante a campanha de 2012. Vejamos bem, a questão aqui não é o recebimento de recursos para a campanha eleitoral, que isoladamente não constituía crime, e sim o fato de que essa contribuição implicou, posteriormente, em ressarcimento pelos cofres públicos, o que caracteriza o ato de corrupção. O próprio favorecimento é uma prova da natureza criminosa da doação.

O caso de Ana Paula e Décio é bastante diverso, são acusados de supostamente receber uma contribuição não declarada que, sabidamente, não foi ressarcida à empresa por fundos públicos, posto que Ana Paula não se elegeu em 2012. Resumindo, não existe, contra os petistas, nem acusação nem indício de qualquer ato que tenha prejudicado os cofres públicos. Existem unicamente as declarações de duas pessoas sequestradas pelo bloco golpista, não temos mais o direito de ter ilusões com o judiciário, que para obter sua liberdade estão dizendo o que seus inquisidores desejam ouvir. Cabe, ao menos por honestidade intelectual, fazer aqui uma pergunta: de que forma as denúncias contra Décio e Ana e a confusão entre conteúdos a que estão sendo submetidos são úteis ao golpe e ao bloco golpista?

1-            A construção de uma estética enganadora.

A lista de Fachin atingiu de forma mortal o governo ilegítimo. Como não é mais possível proteger todos os golpistas, posto que chafurdam à luz do dia na corrupção mais ordinária, e sabendo que os golpistas do judiciário precisam dar a seus sócios na mídia algum elemento que permita vender a patética versão de uma justiça isenta, se tornou imperativo sacrificar alguns dos sócios mais corruptos do golpe. Caíram todas as figuras centrais do governo ilegítimo, tanto no executivo quanto no Congresso, e Temer só não foi junto por absoluta conivência do judiciário, esse é o conteúdo do fato! Já a forma dada pela imprensa é outra, sem se preocupar com questões qualitativas agarrou-se a um elemento quantitativo para transferir a crise para o PT, o número de investigados. Resumindo tudo a apresentação incansável de uma tabela em que o PT aparece como campeão de denúncias, com 18, em seguida o PMDB com 17 e o PSDB com 13, constrói a impressão de que o maior problema está localizado no PT. Dadas as atuais dinâmicas do bloco golpista, e da ascensão do que tem sido chamado de pós-verdade (essencialmente o triunfo das versões sobre os fatos concretos),não chega a ser absurdo desconfiar que essa maioria tenha sido propositalmente construída para servir como elemento estético de uma forma destinada a esconder completamente seu conteúdo e que alguns petistas (parece que o Décio e a Ana são dois casos) tenham sido sacrificados, ao arrepio das provas, para que o PT fizesse “maioria” na lista.

2 – Salvar a direita catarinense

Não caiu só o governo ilegítimo, caíram também alguns dos principais candidatos da direita catarinense para 2018. Colombo, Napoleão e Jean Kuhlmann, acusados de favorecer a Odebrecht com recursos públicos representam uma baixa de dimensões catastróficas para os planos da direita para a próxima eleição. Este fato, aliado ao de nenhum petista ter cometido ato de corrupção e a crescente resistência que os trabalhadores estão começando a apresentar ao golpe, desestabilizariam definitivamente a direita de Santa Catarina e comprometeriam a hegemonia política dos setores conservadores em um estado que eles consideram sua propriedade e laboratório. Colocar o Décio e a Ana na lista permite confundir o cenário, primeiro desacreditando duas das principais lideranças da oposição, e depois criando uma relativização do crime dos pupilos do golpe, visto que a prática é “generalizada”. Ao envolver os petistas, e engana-se quem acha que está a salvo, o que está sob ataque é o petismo, dos quais os golpistas elegeram alvos prioritários, o judiciário dá ao bloco conservador de Santa Catarina, que conta com o apoio canino da imprensa para difundir suas versões, uma sobrevida que se mantém através da artificialidade de aparelhos.

3 – Atacar a resistência ao golpe

Décio e Ana tem dado duro e incansável combate ao golpe de Estado em curso no Brasil. Comprometidos com a democracia e o estado de direito ambos não deram trégua ao golpe desde seu alvorecer. Denunciando o sequestro da democracia e lutando contra os desmontes dos direitos mais básicos da população se destacaram pela combatividade e pela intervenção qualificada. A denúncia permanente do bloco golpista, ressaltando a participação de parte do judiciário e da grande imprensa, a defesa dos trabalhadores e a liderança da oposição no Congresso Nacional atraíram inimigos poderosos.

Parece claro, para qualquer um que esteja disposto a enxergar, que se abate sobre eles o punho pesado do golpe de estado que exige silêncio diante de seus malfeitos e da violação sistemática da legalidade. Sem provas e sequer com uma acusação séria tentam lançar a opinião pública contra ambos para desarticular um dos focos de resistência democrática e erodir dois dos principais patrimônios da esquerda no estado.

Eder Martins – Historiador

Globo cria clima de crise na AL

abril 4, 2017

porém, somente na América Latina que ela não gosta

lenin-moreno-400x230

A Globo não gostou nada, nada, da eleição de Lenin Moreno no Equador, portanto, “é crise no Equador”

não é coincidência que a Globo comece, agora, a criar um clima de crise generalizada na América do Sul e deixe de fora exatamente os países onde o programa Neoliberal tenha voltado com força, e onde a crise está se formando agudamente, como na Argentina, por exemplo. então, por causa de uma eleição acirrada, o Equador, onde o candidato apoiado pelo atual presidente Rafael Correa, Lenin Moreno, ganhou com 51% dos votos, “o país entrou em crise”. engraçado que nos Estados Unidos basicamente foi a mesma diferença nas duas últimas eleições– sem contar que também houve pedido de recontagem de votos nos Estados Unidos, não sem esquecer de dizer que lá, custa 3,5 milhões de dólares prum candidato pedir recontagem–, porém, nunca se fala em crise ou, não se dá a mesma ênfase; sem esquecer que no voto popular, o candidato eleito PERDEU (porém, nos delegados, Trump ficou com 56% e Hillary com 42%)! na eleição passada, também vencida de forma acirrada pelo então presidente Obama, ele ficou com 51,01% dos votos (e 61% dos colégios eleitorais), e Mitt Romney 47,29% (e 38% dos colégios eleitorais), mas NENHUMA CRISE, segundo a grande mídia mundial, o qual é sempre reproduzida fidedignamente aqui pela nossa mídia.

agora, obviamente, como a Globo não curtia nenhum pouco o governo atual do Equador, aquele que deu guarida para o “terrorista” do Assange (que está há anos refugiado na embaixada equatoriana na Inglaterra, pois é perseguido político pelos Estados Unidos), o Equador entra no rol dos países feios e bobos e que estão em crise (e o Brasil???), obviamente, sem esquecer da Venezuela, que a Globo indica, segundo manda a OEA (leia aqui como a OEA é pressionada pelos Estados Unidos que quer continuar mandando e desmandando na AL), houve problemas constitucionais– só esqueceram de dizer que os problemas constitucionais na Venezuela estão acontecendo, sim, porém, dos DOIS LADOS! mas, quem que informação imparcial, né? se fosse assim, como a grande mídia iria continuar manipulando a informação que chega às massas.

Meus 40 anos!

março 30, 2017

1977Há quarenta translações da Terra, às 19h50, uma moça de vinte anos, Rosimare Borba Mafra, torna-se mãe, e Nivaldo Mafra, pai. Meus pais. Num dia trinta de março de mil novecentos e setenta e sete. Num dia onde caiu um forte temporal, que minha mãe lembra, ainda quando estávamos eu e ela na maternidade aqui em Itajaí. Neste mesmo dia, em 1939, aparecia pela primeira vez o Batman! Um ano antes deste 1977 onde nasci, foram registrados os primeiros protestos pelo Dia da Terra, na Palestina! Já no meu quarto aniversário, o presidente dos EUA, Ronald Reagan sofria um atentado à bala. E no meu vigésimo-nono aniversário, Marcos Pontes tornava-se o primeiro cosmonauta brasileiro, a bordo da Soyuz! Mas, um dos pontos que mais gosto deste trinta de março de setenta e sete, é que Vincent van Gogh completaria, no dia em que nascia 124 anos (Paul Verlaine, outro dos grandes nascidos no mesmo dia que eu, faria 133 anos no trinta de março em que fui dado à luz). Uma honra ter nascido no mesmo dia de um dos maiores pintores da História!

210432_10150165600113104_5132866_oAh, sim, vivíamos o período mais violento da Ditadura Militar, quando o regime que derrubou um governo eleito em 1964 decidiu atacar com todas as suas armas aqueles que queriam de volta a Democracia, onde muitos dos homens e mulheres que lutavam por isso foram barbaramente presos, torturados e mortos sem nem mesmo saberemos onde seus corpos eram enterrados. Dois dias após meu nascimento, no 1º de abril — aniversário de 13 anos do Golpe Militar de 64 — o general Geisel fechava o Congresso brasileiro, reaberto 13 dias depois. Capa da Folha de S.Paulo: “Congresso fechado; Reformas Políticas; Reformas no Judiciário; Não haverá cassações agora“. Mas, na matéria, indicava: “não haverá cassações, se não houver fatos supervenientes“. Já no editorial, a Folha dizia algo que lembra muito a campanha midiática destes dias atuais: “LEGITIMAR AS REFORMAS“! “O País observa com APROVAÇÃO o fato de o presidente da República ter apresentado o recesso como medida de caráter reformista, e não como uma punição imposta ao Congresso“, dizia parte do editorial da Folha. No 3 de abril, ainda a Folha: “Crise foi artificial, diz MDB“, sobre a crise que teria levado ao fechamento do Congresso; o The Times, citado na mesma matéria da Folha contava que “era a maior crise dos últimos dez anos“. Dias depois do congresso reaberto, a mesma Folha dizia: “Consumada a Reforma Política“!
Palmas, palmas, esse era o Brasil da Ditadura. O Brasil onde eu nascia. (ah, palmas também não podia, já que, em outra parte do editorial, fala que foram proibidas “manifestações públicas, comícios, passeatas, concentrações e ‘quaisquer iniciativas semelhantes’“. Ué, mas e o país não aprovava tudo isso, por que proibir os ajuntamentos que provavelmente estariam comemorando o fechamento do Congresso, né? Outros trechos do caderno de opinião, eram todos favoráveis, inclusive, enaltecendo a “coragem de tomar decisões enquanto a água ferve (…) indiferente ao que a opinião pública e oficial do resto do mundo possa pensar ou dizer“. Mais palmas! Ops. Corta.)

553018_10151870389883104_1549233219_nEntretanto, na música, os tempos eram outros. Inclusive, no Brasil, a música brasileira já era conhecida no mundo todo, e, provavelmente, neste trinta de março, tocava nas rádios brasileiras (sinceramente, não sei se havia alguma rádio em Itajaí que tocasse os sucessos da época) a belíssima e forte “Como nossos pais“, cantado pela Elis Regina e que fora lançado poucos meses antes. No dia em que nasci, nos Estados Unidos, o grupo Commodores lançava seu álbum homônimo que continha a famosíssima “Easy“. Também lá, a música que estava em primeiro nas rádios neste dia era “Rich Girl” do Hall and Oates (uma das mais famosas que é impossível não citar, é “Dancing Queen”, do Abba, que tocou muito em 77– apesar de ter sido lançada em agosto de 76 — e nunca mais parou, praticamente). Voltando para o Brasil, 1977 teve grandes músicas, e entre as mais tocadas, além do Agepê com “Menina dos Cabelos Longos” que foi do seu primeiro disco, teve a inconfundível “Amigo” de Roberto e Erasmo Carlos, além de “Maluco Beleza” do Raul, “Romaria“, também da Elis, que estourou neste ano. Até era algo que gostaria de saber mais, sobre o que tocava por aqui, no ano em que nasci (o livro mais lido de 1977 nos Estados Unidos foi “O Silmarillion”, do Tolkien!).

207486_10150165557518104_6549362_nEnfim. Aí está uma pequena crônica sobre este dia do meu nascimento, o 30 de março. E, inclusive, até aprendi um pouco mais sobre a história do país, com os acontecimentos daqueles dias debaixo dos porretes, da censura e das faltas de liberdades democráticas que acabaram nos atrasando muito enquanto nação, e os quais ainda sentimos atualmente seus reflexos — e que também estes dias têm forte relações, inclusive, apesar de vivermos um suposto estado democrático.

220933_10150165557118104_393959_o

Livros lidos em 2016 – o ano do Kindle!

dezembro 31, 2016

kindlee finalmente cheguei na minha anual lista dos livros lidos neste ano que termina em breve. agora, posso dizer com certeza que a minha lista aumentou um pouco mais pela facilidade de leitura pelo Kindle (no passado foram somente 13 livros, e estou terminando com 24 livros em 2016 e isso sem contar os quadrinhos!!). e admito também que consegui achar muitos livros que dificilmente conseguiria se não fosse no formato e-book! então, quem quiser aceitar o conselho, compre um Kindle! 😀

e vamos à lista:

coracao-de-aco_coverO Homem Bicentenário – Isaac Asimov
Uma Proposta Modesta – Jonathan Swift
O Universo Numa Casca de Noz – Stephen Hawking
Ubik – Philip K. Dick
Encontro com Rama – Arthur C. Clarke
Revivente – Ken Grimwood
Breviário dos Políticos – Cardeal Mazarin
Fahrenheit 451 – Ray Bradbury
Jardim de Inverno – Pablo Neruda
A Cidade e A Cidade – China Miéville
A URSS e a contra-revolução de veludo – Ludo Martens
Paris é uma Festa – Ernest Hemingway
O Velho e o Mar – Ernest Hemingway
O Capital: Uma leitura popular – Carlo Cafiero
revivente_1392929284bSonho de Prata – Neil Gaiman, Michael Reaves, Mallory Reaves
O buraco na Parede – Rubem Fonseca
Nove Amanhãs – 2° Volume – Isaac Asimov
Che 20 anos depois – Flávio Koutzii, José Correa Leite
Amálgama – Rubem Fonseca
Juventude – J. M. Coetzee
A nebulosa de Andrômeda – Ivan Efremov
Coração de Aço (#1 Executores) – Brandon Sanderson
De Primatas à Astronautas – Leonard Mlodinow
EntreMundos – Neil Gaiman, Michael Reeves

e estou lendo nesta virada de ano “Star Wars – A Trilogia” de George Lucas, James Kahn, Donald F. Glut e “As Melhores Histórias de Viagens no Tempo“, coletânea de contos organizadas por Harry Turtledove e Martin H. Greenberg, com contos sobre viagens no tempo de Robert Silverberg, Arthur C. Clarke, Ray Bradbury, Ursula K. LeGuin entre outros!

pra minha lista do ano passado, clique aqui.

tabela-leitura

nessa daí fiz 160 pontos 🙂

“A Nebulosa de Andrômeda”, uma Ficção Científica peculiar

dezembro 2, 2016

asimov-primatas-a-astronautahoje terminei o livro “A Nebulosa de Andrômeda“, do soviético Ivan Efremov. O livro é interessante, apesar de ser escrito no fim dos anos 1950, descreve um futuro MUITO DIFERENTE dos seus contemporâneos, e por isso trouxe esse trecho de outro livro que estou lendo (“De Primatas a Astronautas” de Leonard Mlodinow) e que coincidentemente falava sobre um dos motivos que me levou a ler este livro do Efremov, e algo que me incomoda na maior parte da ficção científica escrita nesta época (o que abarca a maioria dos grandes clássicos do gênero), que é este pensamento de certo modo, pequeno, estas mudanças que deveriam ocorrer em sociedades tão avançadas, mas que não conseguiram, em suas literaturas, avançar em certos pontos. porém, algo que sempre me incomodava e que errei feio, em alguns livros os autores descreviam homens ainda usando bigodes grossos, o que era algo que acreditava que nunca mais voltaria à moda ahahahahahah — sério, gente, vocês que estão usando, daqui dez anos, rirão meio envergonhados de terem feito isso ehehehehe

andromeda-efrimov-comunismo

Um dos trechos do livro onde demonstram uma sociedade totalmente diferente do que geralmente vemos na Ficção Científica

mas, voltando à obra de Efremov, um dos pontos mais interessantes deste livro (que não recomendo muito, pois é uma leitura bem difícil, uma história que poderia se resolver na metade das páginas que foi escrita e se arrasta com um final que simplesmente não empolga, ou, deixa para uma continuação que não sei se existe), é este futuro que ele descreve, também bem diferente dos impérios humanos (ou extraterrestres) da maioria dos escritores de FC, um futuro onde o Capitalismo foi abolido e a humanidade vive um período de paz e crescimento sem par em sua História. só por este ponto, valeu a pena ler esta obra, e que queria exatamente para um projeto que estou escrevendo (que ainda não sei se será um conto, novela ou romance), um ponto de vista onde os homens não conhecem mais fronteiras, onde não há imperadores, reis, presidentes, e todos podem participar das decisões importantes para a humanidade, ou seja, um mundo comunista (apesar de nem usarem mais este termo — o termo usado é Era do Grande Circuito, que é o modo de comunicação usado entre todos os planetas habitados por raças inteligentes na Via Láctea).

homens e mulheres com direitos iguais, organização planificada, novos meios de transporte e de propulsão, automatização de centrais energéticas, o fim do “trabalho por uma vida inteira”, mudanças drásticas inclusive na forma de educar as crianças e jovens e por aí vai.

porém, é claro, Efremov também não escapa dos erros cometidos mais por desconhecimento que outra coisa. um dos mais absurdos indicados no livro é o “derretimento das calotas polares”, mas que dá pra compreender pois na época ninguém sabia muito sobre isso, porém, fica claro que não daria certo, tanto que ele indica que o nível dos mares subiria sete metros por conta desta ação (no livro, isto é feito pra controlar de vez o clima na Terra), ou seja, não levou em conta que iria ferrar com todo o mundo, todas as grandes cidades que viviam nos litorais. porém, estes pequenos “erros” valem a pena por esta sociedade tão diferente do que vemos comumente na FC, mesmo sendo um livro que acaba ficando pesado e enrolado, mas, lembrando, é um livro publicado em 1957!!

Cadê a cultura nos nossos jornais?

outubro 28, 2016

cultura-desenhoNOVE MINUTOS! Esse foi o tempo que um jornal televisivo do meio-dia destinou ao esporte. “Oras, Rômulo, o que tens contra o esporte?” Nada. Nada mesmo! Gosto muito de esporte! Assisto a várias modalidades, inclusive, as que não são predominante na televisão aberta brasileira, como beisebol, futebol americano, tênis, mas também gosto de futebol, vôlei etc. Porém, o que quero dizer é QUANTOS MINUTOS O JORNAL DEDICOU À CULTURA durante uma semana inteira? Sim, porque podemos comparar esporte e cultura, não? São dois temas caros à sociedade, que precisam de apoios públicos e privados, correto? Porém, sabemos, o tema cultura é deixado geralmente do lado pelo nosso jornalismo, enquanto o esporte é tratado como soberano (neste jornalístico em especial acho que só perde pra publicidade DENTRO do próprio jornal). Neste que assisti nesta semana, em CINCO DIAS, apenas UMA matéria foi ao ar com tema cultural — de uma menina aqui de Itajaí que passou no balé Bolshoi. UMA. Durante a semana inteira. Já o esporte, ah, este tem além das páginas e páginas garantidas nos impressos diariamente, sobram estes minutinhos garantidos todos os dias nos televisivos. Já a cultura, ah, quem se importa com cultura, né Rômulo? O jornalismo é que não.

Ah, e nem vou contar a matéria de hoje falando sobre a falta de repasses do governo municipal às entidades culturais de Itajaí, pois isso é matéria de política, e não de cultura. E vocês, que mandam no jornalismo local, já pensaram que talvez vocês também tenham culpa pela falta (ou invisibilidade das mesmas) de atividades culturais na cidade? Muitos fazem, lutam, tentam, mas, sem apoio das mídias de massa, fica difícil manter estas atividades.

Não haverá catástrofe por causa dessa PEC 241

outubro 11, 2016

Como alguns estão supondo, não haverá catástrofe alguma por causa dessa PEC!!! O noticiário já decidiu. A mídia e seus anunciantes já decidiram: “A PEC é boa pro país.” E assim será tratada daqui em diante. Portanto, TUDO o que acontecer de ruim, será somente enfiado na conta do PT, acho que pelos próximos dois anos, pelo menos, e caso se reeleja a trupe golpista no governo federal, pelos próximos SEIS ANOS.
As grandes empresas que financiam a mídia estão do lado delas próprias.
O trabalhador sofrendo, é melhor pra elas.
Podem controlar melhor os salários que vinham subindo (sim, com a Crise eles começaram a definhar novamente).
14690868_664618630383884_7151351714859165490_nPodem controlar a massa de desempregados, que é um fator dominante para uma grande empresa crescer ( quer dizer, dar lucro para os sócios).
O resto, a mídia (escrava dos seus anunciantes) tratará como algum mal causado por outra coisa, não pelo CONGELAMENTO pelos próximos 20 anos (HUAHUHUHAUHUAUUHAU — sim, eu ainda tenho vontade de gargalhar ao digitar algo tão grotesco e aceito passivamente por um povo em pleno 2016) — dos gastos em Educação e Saúde, sem falar em outras áreas que serão afetadas.

pec-241Não teremos catástrofe nenhuma, amigos. E logo que prenderem o Lula (por que não prenderam ainda? o cara não é o chefe da super-quadrilha, ganhou milhões e milhões em propinas etc. etc.?), o que deve acontecer quando talvez surgir algum problema ou esse da PEC fique muito escandaloso, todos irão ter orgasmos e vão se lembrar novamente que foi tudo culpa do PT e dane-se o que estão nos enfiando sem vaselina. O importante é zoar e falar mal do PT pra parecer inteligente e politizado