E quem elegeremos?

junho 24, 2016

E finalmente chegamos no final de junho. Ou quase nele. Na última eleição, com as datas antigas, esta seria a época em que se estariam definindo todas as coligações possíveis para as eleições municipais. Porém, com a alteração do calendário eleitoral, que não tenho dúvidas, piorou a situação para todos já que se diminui o tempo em que o eleitor tem para PESQUISAR e PENSAR em que irá votar, agora, a nova data final pras coligações se decidirem é 4 de agosto. Ou seja, ainda maaaais de um mês pra toda essa lenga-lenga que não importa ao eleitor. Quer dizer, vai importar quando se decidir. Porém, enquanto os bastidores fervem, o eleitor fica na expectativa do que terá pra votar dali pouco mais de dois meses. Sessenta dias é o tempo que foi dado ao eleitor pra debater, conhecer, e decidir em que irá votar. Na minha opinião, muito pouco. Enquanto isso, ficamos nesta expectativa, sabendo que nestes bastidores, seja aqui em Itajaí, Brusque ou Salvador, a negociação de cargos é o que funciona a todo vapor, com o aval nosso, do povo, que prefere se omitir em MUDAR realmente o sistema político achando que de quatro em quatro anos pode exercer sua liberdade de votar em quem quiser.

mafalda sistemaSim, temos bons candidatos. Principalmente aos legislativos, sempre teremos ótimas opções pra votarmos. Mas, em quem vamos votar? Quem serão os vereadores eleitos Brasil afora? Faço uma aposto contigo, leitor, que serão em sua esmagadora maioria, aqueles que gastarem mais dinheiro (oficialmente ou por caixa dois) nas suas campanhas. Serão eleitos aqui em Itajaí aqueles que ostentarem mais poder. Aqueles que apareceram mais na mídia ao longo destes quatro anos, pelo menos. Infelizmente, não vamos eleger pessoas que pensam política. Claro que algumas delas, destas que serão eleitas, também pensam política. Mas a maioria que entrará novamente, só está lá pra pensar em política eleitoral, seus cargos e tentar emplacar alguma coisa em quatro anos que o faça ter visibilidade — do contrário, é tentar comprar a mídia pra aparecer bastante e da forma mais positiva possível. E o povo é MANIPULADO, como sempre, pela mídia, mesmo que nesse caso, de forma até indireta, já que a mídia dá oportunidade àqueles que também têm mais poder. A mídia não gosta de mostrar pobre, não gosta de mostrar quem pensa e faz política. Quem tem ideologia. A única ideologia que presta para o patronato (que manda na mídia) é a ideologia do dinheiro. Se fez bastante dinheiro, é alguém bom. Do contrário, é coisa de, argh, intelectual, e disso, ninguém quer saber.

Portanto, esperemos as definições das majoritárias até começo de agosto. Mas comecemos a observar com mais afinco nossos candidatos (ainda pré-candidatos) ao legislativo itajaiense! Temos muitos candidatos bons, e possivelmente, apostaria naqueles que serão os menos vistosos, entretanto, estes terão as menores chances de entrar na Câmara de Vereadores. Teremos muitos reeleitos, com certeza. Falam em renovação, mas, SE TODOS foram candidatos à reeleição, exceto os que passaram alguma temporada no presídio da Canhanduba, todos têm boas chances de serem reeleitos novamente. Mas, quem decidirá, será tu, eleitor. Ainda dá tempo.

da minha coluna no Sem Censura desta semana

A pré-eleição dos vices

junho 8, 2016

Apesar de a temperatura estar caindo drasticamente nesta segunda semana de junho, os bastidores pré-eleitorais — que daqui algumas poucas três semanas se tornarão eleitorais — estão fazendo o caminho oposto dos termômetros e tudo parece ainda mais quente. E se tivéssemos um meteorologista eleitoral, ele diria que é exatamente esta a tendência para os próximos dias e semana: muito calor!

restaNão temos, até o momento, o que parece ser o maior problema para os até então pré-candidatos: candidatos a vice-prefeito. Nenhum destes até o momento têm isso fechado. Claro que geralmente se deixa para a última semana antes das convenções que decidirão quais e quais coligações escolheremos dia 4 de outubro. Mas, como temos nesta semana já uma nova profusão de pré-candidatos a prefeito, com a entrada definida de Anna Carolina (PSDB) — o que causou um certo mal-estar no vereador que mudou de partido, Dedé, e que tinha ido pro PSDB dizendo que seria candidato a prefeito, além da saída do DEM de uma possível coligação com o PSDB com este anúncio — e a volta de Osvaldo Mafra (SD) para o rol dos possíveis candidatos ao paço, além de outros anunciados anteriormente, entre eles Níkolas Reis e Marcelo Sodré (PDT) e até agora aparece o nome do já ex-secretário da Educação de Itajaí, Edison d´Ávilla (PP) como possível nome.

Todos estes citados, duvido muito que algum deles reste como cabeça-de-chapa no começo do mês de julho. Provavelmente, um ou dois, podem acabar como vice daqueles quatro principais que listei na semana passada, com exceção do nome de Deodato Casas (PSDB) que anunciou publicamente que não será candidato, dando vez para a vereadora Anna Carolina. PORÉM, sabemos que políticos tendem a mudar de opinião, bem como o próprio eleitor, e em cima da hora, dependendo da conjuntura das alianças possíveis, isso possa mudar. Ainda não acredito que Anna arriscará uma reeleição quase garantida para a Câmara de Vereadores. E essa rasteira em Dedé, que contava ser candidato pra majoritária, pode ainda ser revista, bem como a desistência de Deodato.

Então temos essa nova troca no posto principal dos pré-candidatos à prefeitura de Itajaí, com Décio Lima (PT), Dalva Rhenius (PSB), Volnei Morastoni (PMDB) e Anna Carolina (PSDB). Resta o mais importante, que, como disse na coluna passada, irá decidir já no começo de julho provavelmente o eleito de Itajaí — a se confirmar dia 4 de outubro, — que é: pra onde irão PDT, PSD, PP, DEM, PR, SD, PPS e PCdoB, que são os partidos mais fortes — por ordem de força política atual — nesta pré-disputa indireta que acontece no exato momento em Itajaí. Agora, para os que acompanham o cenário, resta aguardar onde vão dar tantas conversas entre todos os partidos que irão pra disputa em outubro.

da minha coluna desta semana no Sem Censura

Em 30 dias teremos o prefeito de Itajaí a partir de 2017

junho 1, 2016

eleicoesIsso mesmo. Daqui pouco mais de trinta dias saberemos quem será o próximo prefeito de Itajaí entre 2017 e 2020. Claro que ele não estará eleito, mas, teremos, como sempre tivemos, os dois com mais chances escolhidos por seus partidos e, logo em seguida, dentro de suas coligações. No começo de julho os partidos deverão estar com seus candidatos a prefeito e vice definidos, bem como as coligações.

E já aponto aqui o vencedor do pleito: aquele que tiver a maior coligação, com mais partidos, deverá ser o eleito em outubro. É estranho falar isso? É, eu também penso assim. Não deveríamos eleger um prefeito com este argumento, não é mesmo? Mas é exatamente assim que será. Elegeremos o prefeito com os maiores partidos em sua coligação. É praticamente um fato. Pelo menos, na lógica do eleitorado itajaiense; e diria que não teremos opção, inclusive. Por isso a luta é grande nos bastidores da política local essa busca por uma boa coligação. O velho governo de coalizão, que só há pouco tempo começou a ser chamado assim: um governo com vários partidos, e que perde parte de suas qualidades ideológicas pra força (através do número de legisladores governistas) que acaba ganhando principalmente no legislativo, ao qual todos os governos ficam sujeitos. Como falei semanas atrás, um Executivo sem um Legislativo, fica refém e pode acabar sendo derrubado do poder, como aconteceu em Brasília no golpe branco que tirou (ainda que momentaneamente) Dilma Rousseff da presidência.

Mas, voltando a nossa Itajaí, estes próximos trinta dias serão quentíssimos e definirão, provavelmente, o nosso próximo prefeito nos quatro anos seguinte. A não ser, é claro, que aconteça o que é quase impossível, e tenhamos, três ou quatro candidaturas fortes pra prefeitura, o que acho muito difícil diante do que tem acontecido nas últimas eleições majoritárias em Itajaí. No páreo — pras cabeças de chapa—, na minha visão, temos Décio Lima (PT), Deodato Casas (PSDB), Volnei Morastoni (PMDB), Dalva Rhenius (PSB) entre os candidatos fortes. Todos estes estão atrás de um bom candidato a vice, que traga além da força de um número expressivo de candidatos a vereador, sem rejeição entre os eleitores (sem contar o tempo de televisão na campanha, fator importante também). Por enquanto, ninguém ainda tem vice definido. Todos em franca conversas e logo saberemos quem serão os candidatos e coligações que serão eleitas em 4 de outubro. Talvez destes nomes, um ou outro se coligue entre eles. Talvez se coligue com outro. (lembrando que como vinha colocando no Facebook, Paulinho Figueirense teria abandonado as hostes governistas e não será candidato)

da minha coluna no Sem Censura

Da série “porque não voto em pessoas e sim em projetos políticos”

maio 18, 2016

projetosEm primeiro lugar, falo por mim, tão-somente por mim. Em segundo lugar, novamente, falo somente por mim. Sou filiado ao PT, e não estou falando por partido, somente por mim. E não por causa do título, porque sei bem que a maioria dos petistas também NÃO VOTA EM PESSOA. Não votei em Lula. Não votei em Dilma. Assim como também não votei em Volnei (pra prefeito). Votei sempre no PT e seus projetos políticos, sua ideologia. Claro que acabo votando na coligação toda, assim como nos vices (para serem vices!), pra lembrar, o fatídico vice “Temer-PMDB” que agora virou presidente-golpista, ou, também a lembrar, a vice do governo Volnei que era do PMDB e mesmo concorrendo na chapa com o vice-prefeito preferiu fazer campanha pro opositor, o atual prefeito Jandir Bellini. E não é que ele — o atual prefeito — apareceu na convenção do PMDB (partido retirado da Eliane e “repassado” ao ex-prefeito ex-PT Volnei Morastoni)? Nada contra, porém, reitero, POR explicando pq nao aceito temerISSO VOTO EM PROJETOS POLÍTICOS, não em pessoas. As pessoas mudam facilmente de projeto. Já uma coligação, quando desenhada anteriormente, já se sabe mais ou menos pra onde ela vai e dificilmente mudará de direção. Um exemplo, os governos de coalizão federal, no caso específico, até antes do golpe do PMDB/PSDB, era de Centro-Esquerda. Agora, com o golpista Temer na presidência (ainda que interina), é Centro-Direita, tanto que se aliou exatamente ao partido derrotado QUATRO VEZES pelo povo brasileiro, que elegeu o PT na cabeça de chapa. Podendo cair ainda mais pra Direita do que se imagina (podendo chegar muito próximo à Centro-Direita fundamentalista — evangélica). Em Itajaí temos uma coalizão de partidos quase todos à Direita, mas ainda é um governo peeerto do centro no espectro político. Porém, não tão perto quanto querem alguns. Ou talvez, mais distante do que uns poucos queriam.

Vou repetir (de novo), por isso voto em PROJETOS POLÍTICOS. Como disse, as pessoas mudam de partidos. E mudam de posturas. Um projeto político dificilmente terá uma alteração tão grande em sua caminhada de quatro/oito anos. Um projeto político SÉRIO dificilmente aceitaria quem lhe fez oposição acirrada, como no caso em que o PP e o atual PMDB (liderado pelo ex-adversário de mais de um década) se juntem em Itajaí. E na maioria dos partidos, seja à Esquerda ou Direita, dá pra se confiar que terão a mesma postura ideológica, podendo, é claro, pender mais para um lado — geralmente o Centro. Então, não adianta votar em NOMES, ou numa pessoa, principalmente na majoritária (prefeitos, governadores, presidente). O eleitor tem de aprender a votar em PROJETO POLÍTICO. É isso que pode começar a mudar algumas coisas. O resto, é enganação de quem prefere ver projetos políticos derrubados em detrimento de personalismos.

da minha coluna desta semana no jornal Sem Censura

O golpe contra o povo

maio 11, 2016

golpes esquerdaresumo do GOLPE (não na ordem de importância) que será dado hoje pelo Legislativo brasileiro:

-> o governo federal não ter aceitado abrir mais ainda as pernas pro PMDB
-> o PSDB/mídia não ter aceitado a quarta derrota pro PT em 2014
-> o PT ter decidido votar a favor da abertura do processo de ética contra Eduardo Cunha (PMDB), que, no mesmo dia, aceitou o pedido de impeachment (pedaladas fiscais)
-> a crise mundial iniciada em 2008 e que ainda atinge boa parte do mundo, usada como desculpa pra aprofundar a nossa própria crise, que é mais política que econômica

enfim, parabéns a todos envolvidos que APOIARAM tudo isso daí. claro que há outras sutilezas envolvidas no golpe que será deflagrado hoje (ainda que não permanente), mas, o povo, manipulado e que se deixou manipular em sua boa parte, vai sofrer ainda mais a partir de agora. as precarizações que virão pro lombo do TRABALHADOR e que seguem o que acontecem em boa parte do mundo (como acontece SEMPRE em qualquer crise do capitalismo, pois, é pra isso que elas servem) irão ser jogados durante os anos seguintes todos na conta dos governos do PT — com a anuência da imprensa que não vai querer saber de dar continuidade a crise política agora que chegou ao seu principal objetivo, que era tirar o PT do governo federal –, mesmo que ele tenha sido o que mais gerou empregos, criou universidades, quase erradicou a fome, aumentou o poder aquisitivo da população pobre/classe média, diminuiu desigualdades sociais, proporcionou moradia aos que nunca teriam acesso a elas e por aí vai.

golpe caros amigosparabéns aos envolvidos que verão 54 milhões de votos que chancelavam uma eleição (disputada, mas, ganha legalmente etc. etc.) serem jogados na lata do lixo da democracia praticamente porque um partido decidiu votar contra um deputado que agora foi devidamente afastado de suas funções por estar sendo acusado de vários crimes de CORRUPÇÃO.
a História lembrará deste dia como algo triste. como um golpe branco, um golpe paraguaio.

e termino com a frase do editorial do jornal El País de hoje, que tem como título “UM PROCESSO IRREGULAR”, e que diz que está “colocando o país nas últimas horas em uma incerteza inconcebível na maior democracia sul-americana“:

“Enquanto o Brasil afunda na recessão, a oposição usou o Congresso para transformar uma acusação de caráter político –uma má gestão do orçamento– num processo previsto para casos penais”.

Ex-coordenadora fala sobre o Escola Aberta em Itajaí

maio 2, 2016

este texto abaixo foi colocado aqui no blogue como comentário (nesta publicação, que falava sobre uma frase do prefeito Jandir Bellini onde ele dizia que o programa Escola Aberta não teria terminado, apenas “descontinuado”), e, agora, trago ele para cá, para conhecimento de todos, sobre um assunto que já foi muito debatido em Itajaí, mas, infelizmente, acabou sendo esquecido até mesmo pela imprensa que preferiu se omitir do debate. o texto ao qual ela se refere, é sobre o fim do programa Escola Aberta, quando da entrada do atual governo Jandir Bellini na prefeitura, em 2009 — no final tem o vídeo que deu origem à publicação em que ocorreu este comentário).

Meu comentário sobre o assunto, 4 anos depois. É que eu não sabia do ocorrido…infelizmente!

escola aberta 2016O Programa Escola Aberta, ocorreu simultaneamente em 12 escolas, todos os sábados desde 2005. Inicialmente foram 3 aberturas, e as outras escolas foram aderindo ao Programa.
No início, não servíamos alimentação. Iniciamos com oficinas de curta duração, de pintura, contação de história, esportes diversos, laboratório de informática, artesanato e teatro.
Iniciávamos as 9:00 h, parávamos ao meio-dia.
Retornávamos as 13:30 h e terminávamos as atividades as 17:30 h.
Percebemos que a maioria dos inscritos, na maioria criança e adolescentes não iam para suas casas ao meio dia.
Sentavam no meio fio da calçada da rua, com sol ou chuva e esperavam a reabertura.
Insistíamos para que fossem para casa almoçar e nos diziam que não iriam, que queriam pegar o lugar para a oficinas e que não tinham almoço em casa.

Bem….esta era a realidade da maioria das escolas.
A primeira escola que ofereceu almoço foi a E.B. Arnaldo Brandão por iniciativa da diretora Regina Rebelo Mota, que conseguiu os alimentos com a comunidade e alguns empresários do bairro.
Isso ocorreu por quase um ano, até que o prefeito Volnei percebesse que a situação não poderia continuar do modo que estava.
As providências foram tomadas para que fossem servidas refeições todos os sábados em todas as escolas abertas.
Simultaneamente, as oficinas foram crescendo, a pedido das comunidades e os cursos foram aumentando suas cargas horárias, melhorando a qualidade dos mesmos.
Como exemplo cito aulas de inglês no CAIC, ministradas por um voluntário por 2 anos, o Tiago, também violino e ballet, pelo programa, entre outras DOZE oficinas ofertadas no CAIC.

Em todas as escolas havia aulas de informática,em parceria com a Escola Elite e também uso livre dos computadores, orientados e supervisionados. Cursos profissionalizantes na maioria das escolas, em parceria com FEAPI, entre outros.

Mas, parece que o povo que não conheceu o programa, só sabe falar da comida, e da criançada brincando no pátio, sob a orientação sempre de um profissional de educação física, como se o esporte, e o lazer, fossem um crime, e não um ato social, educativo e de saúde.

Bem, o Programa Escola aberta, foi o melhor programa que a SEDUC [Secretaria de Educação de Itajaí] já desenvolveu.
A criminalidade no entorno diminuiu aos sábados e os delinquentes cuidavam para que a ordem fosse mantida nas escolas.
Estranho?
Só pra quem vive num mundinho da fantasia, e não conhece a realidade destes bairros permeados pela violência causadas pela exclusão social.. mas… criticam, geralmente por interesses pessoais. Precisou ter muita, muita “coragem”, para acabar com um programa assim.
Ou seria melhor dizer “covardia”?

Susane Barbosa Cugnier
Coordenadora Geral do PROGRAMA ESCOLA ABERTA
Supervisora de Programas Educacionais SEDUC (2005 a 2008)

Pesos-pesados do PP estão fora da eleição deste ano

abril 29, 2016
jandir viajoupelo menos, pra concorrer como vereadores…
que Itajaí não tem governo, há algum tempo os munícipes já sabem… agora, um fato interessante, além dessa viagem aos EUA do prefeito Jandir (PP) e de não deixar ninguém no seu lugar, já que a vice não quer assumir pois ficaria inelegível no pleito deste ano, e que ninguém atentou muito ainda, é que os peso-pesados do PP, pelo menos politicamente falando, Osvaldo Gern e a irmã do prefeito Susi Bellini NÃO SERÃO CANDIDATOS à reeleição neste ano. e isto, porque até o dia 4 de abril não abandonaram seus cargos de ordenadores de despesa, portanto, não podem concorrer ao cargo de VEREADOR nesta eleição de 2016 — para concorrerem como prefeito e vice ainda podem, e o prazo é 4 meses antes da eleição.
e falei peso-pesados, porque, apesar de terem sido os menos votados do PP (Susi 1.543 e Gern 1.448), politicamente, os dois sempre fizeram parte do núcleo central do governo Bellini, sempre estiveram em volta da mesa do prefeito.
aliás, na verdade, o problema do PP é tão grande, que o único que vai concorrer à reeleição dos eleitos em 2012, é o Tonho da Grade, que passou por um inferno astral nesta legislatura e escapou de ter sua eleição cassada num processo de ética na CVI. o outro, mais votado do partido, saiu do PP, portanto, só sobrou o Tonho da Grade (dos eleitos, é claro, não falei aqui nos suplentes que assumiram).
leia o texto completo (sem cortes) aqui

E o “Brazeol” segue rumo ao golpe…

abril 27, 2016

hoje o Bom (?) Dia Brazeol foi hilário!
no mesmo dia em que o tal Fernando Bahiano confirma uma outra delação premiada dizendo que entregou 4 milhões em propina pro próximo vice-presidente (eleito por vocês que querem o golpe) Eduardo Cunha (PMDB), o próximo vice é recebido pelo próximo presidente Temer (PMDB), e o próximo presidente, eleito por vocês que apóiam o golpe, já declarou que o partido derrotado nas últimas eleições fará parte do próximo governo, obviamente, deixando claro que o PMDB de Temer terá de aceitar um programa de governo mínimo.

não é delicioso ver isso tudo no café da manhã? o “novo Brazeol” que está acordando!

Ainda continuam querendo acabar com o Canto do Morcego

abril 26, 2016
canto-do-morcego-praia-brava

imagem antiga aqui do blogue quando ainda se podia fazer alguma coisa pra SALVAR… agora, não vejo mais como iremos impedir que este local vire uma nova Balneário Camboriú…

e é por isso que a galera que tem lutado e muito contra os desmandos principalmente da Justiça e do governo municipal contra este lugar que era pra ser uma RESERVA ECOLÓGICA, no mínimo, estará neste domingo unida pra fazer um abraço coletivo no local conhecido como Canto do Morcego, parte norte da Praia Brava aqui em Itajaí.

a ação irá acontecer a partir das 10h, organizada pelas associações Unibrava, Sea Shepherd, SocioAmbientar, Associação de Surf Praias de Itajaí e Associação de Bodyboard!

relembre um pouco do que já foi publicado neste blogue sobre as tentativas e frustrações sobre o Canto do Morcego: aqui, aqui, aqui (o dia da afamada votação num 31 de dezembro!!!) e aqui (dias antes da tal votação, em dezembro de 2012).

Ainda sobre a greve…

abril 18, 2016

(comentário do Davi Coelho sobre o meu texto “sou filiado, e daí?“, da semana passada, quando começaram a tentar usar minha (e de outras pessoas) filiação partidária para tentar desunir os servidores que participaram da greve dos servidores municipais de Itajaí)

Fico aqui matutando… além de todos limites como dirigente sindical essa pessoa ainda se acha na condição de emitir parecer sobre a a orientação ideológica ou partidária de um filiado ao sindicato?

sindicalista daviIsso é uma aberração e só escancara a sua incapacidade de liderança. O dirigente, quando é de fato um dirigente, deve ter a capacidade de potencializar todos segmentos da sua categoria, usar e abusar de elementos que contribuam para abrir portas, buscar soluções para alcançar os objetivos. Qualquer tática fora disso denuncia uma pequeneza e limitações de cunho pragmático.

Estou dirigente sindical, Trabalhadores Eletricitários do Vale do Itajaí, mais de 20 anos. Batalhas terríveis foram travadas contra privatização, perdas de direitos e tantas outras lutas. Ora, o nosso segredo sempre foi manter a unidade da categoria. Somos antes de tudo eletricitários, trabalhadores na busca da manutenção e ampliação de direitos.

Somos admirados pelos demais sindicatos pela nossa organização, democracia interna e principalmente nossa capacidade de apoio da base. Usamos e abusamos da política partidária. Que riqueza termos filiados que militam nos mais variadas matizes políticas. Isso nos tem aberto portas e nos salvado nos maiores momentos de crise. A categoria jamais nos condenou ou perdemos a confiança dela por isso. Ao contrário.

Poucas categorias nesse estado tem tamanha representatividade político partidária como os eletricitários. Governadores, senador, deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores foram ou são empregados da Celesc, Eletrosul, Gerasul, Tractibel. Do PMDB, PP, PT… seja lá qual for a orientação partidária. Como exemplo, do deputado federal Mauro passos do PT ao deputado Lício Mauro da Silveira do PP sempre foram intransigentes defensores da categoria e respeitadíssimos por ela.

E essa representatividade político eleitoral é vital. A posição tacanha, limitada, preconceituosa da presidente da entidade compromete significativamente a força da categoria. Um líder jamais pode ser guiada por posições pessoais. O interesse da categoria está acima, inclusive das suas convicções ou interesses pessoais.

É lamentável que uma grande categoria como a dos Servidores Públicos Municipais, com um movimento motivado e crescente se ressinta de lideranças a altura do momento.

Davi Coelho


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.005 outros seguidores